Assembleia Geral Ordinária | dia 13 de Abril

Dia 13 de Abril de 2021 às 20:30

ORDEM DE TRABALHOS:

  1. Relatório e contas de 2020 – apreciação, discussão e votação
  2. Eleição do Positivo e Negativo de 2020 nos domínios do Ambiente e Património
  3. Informações
  4. Apresentação e votação da acta

Local: Auditório do Espaço A, Casa do Adro, Loures

Agradecemos confirmação de presença, de forma a podermos garantir o respeito pelas medidas de higiene e segurança devido à COVID-19.

Água suporte da vida, água para a vida

O Município de Loures é percorrido por uma vasta rede hidrográfica e integra-se na sub-bacia Estuário, da Rede Hidrográfica do Tejo.

As actividades humanas têm vindo a ser identificadas como uma das maiores ameaças ambientais, sociais e económicas que o planeta e a humanidade enfrentam.

A mudança climática provocada tem especial destaque nas emissões de gases com efeito de estufa e nas alterações muito significativas no uso do solo.

As perspectivas de evolução do clima ao longo do século XXI, apresentadas para 2100, prevêem, em geral, um aumento da temperatura do ar durante o período de Verão entre 4 e 6ºC e no período de Inverno entre 2 e 3ºC, e um aumento da precipitação durante os meses de Inverno e uma diminuição acentuada da precipitação no período de Verão e Outono.

Neste cenário de alterações, prevê-se também uma maior incidência de fenómenos extremos, com o aumento de episódios de precipitação intensa durante curtos períodos no Inverno e o aumento do número de dias consecutivos com temperaturas máximas acima dos 35ºC, que poderão passar de cerca de 10 a 20 dias, para 30 a 40 dias consecutivos

Antevê-se, portanto, que as alterações previstas para o clima tenham impactos substantivos nos recursos hídricos, em especial na diminuição das disponibilidades hídricas, no aumento de eventos meteorológicos extremos, na degradação da qualidade da água e, paralelamente, no aumento do seu consumo.

Por outro lado, os estudos indicam que, embora rica em recursos hídricos superficiais e subterrâneos, a região está submetida a perdas elevadas de água, quer nos sistemas urbanos, quer, principalmente, nos sistemas agrícolas.

Estas razões conjugadas, determinaram a preocupação e a iniciativa da ADAL de lançar o projecto “LRS – águas mil” que se constitui em iniciativa de cidadania, desencadeando o alerta e a exigência às autoridades públicas, aos agentes económicos e aos cidadãos, sobre a incontornável necessidade de desenvolver, desde já, acções objectivas de poupança e protecção para a sustentabilidade dos recursos hídricos, sejam eles superficiais ou subterrâneos, e nas quais ninguém está dispensado de se envolver e participar.

A água é o suporte básico da existência, todos precisamos de água para a vida.

Mais um passo dado na reabilitação do Palácio e Quinta de Valflores

A ADAL é, desde 2016, parceira da Câmara Municipal de Loures no processo de salvaguarda, valorização e reabilitação da Quinta e Palácio de Valflores, no âmbito da candidatura ao POR Lisboa. 

Concluída em 2020 a primeira fase do projecto de intervenção no Palácio de Valflores, a qual permitiu a consolidação estrutural do edifício do século XVI, foi já adjudicada pela Câmara Municipal a empreitada referente à segunda e à terceira fases da obra, relativas ao restauro e protecção dos elementos arquitectónicos. Finda esta fase, com duração aproximada de um ano, será possível realizar visitas públicas a todos os espaços que constituem o Palácio. 

Em reunião com a Câmara Municipal de Loures, realizada no dia 10 de Março, a ADAL foi informada sobre os estudos e análises em curso para definição das funções futuras do equipamento, tendo aproveitado a oportunidade para reiterar a proposta já apresentada em 2014, que aponta para a ideia de criação de um pólo universitário de investigação ambiental em Loures.

Palácio Valflores, ca(u)sa nossa!