UM OLHAR POR DENTRO

Está já em preparação a actividade “Um olhar por dentro”, integrada no projecto Pelos Trilhos do Património e da Natureza, que se realizará em Novembro.

Desta vez vamos sair do município de Loures, convidando os nossos sócios e amigos para uma visita guiada ao Posto de Comando do Movimento das Forças Armadas, ponto nevrálgico da noite em que Portugal viveu a Revolução dos Cravos. Este espaço está localizado nas instalações do Quartel da Pontinha onde, de 24 a 26 de Abril de 1974, estiveram reunidos os oficiais que comandaram todas as operações da Revolução do 25 de Abril.

A Câmara Municipal de Odivelas, em colaboração com o Regimento de Engenharia N.º 1 (Pontinha), inauguraram o Núcleo Museológico inaugurou a 25 de Abril de 2001.

Brevemente daremos mais notícias!

DIAS DE RENASCIMENTO

A ADAL vai participar na iniciativa Dias de Renascimento, promovida pela ADPAC – Associação de Defesa do Património Ambiental e Cultural de Santa Iria de Azóia e que conta com a participação de várias associações e entidades daquela Freguesia.

Trata-se de uma celebração do início da recuperação da Quinta e Palácio de Valflores, a que se associam outras efemérides que ocorrem no mês de Outubro, como os aniversários da ADPAC, da APSIA – Associação de Planadores de Santa Iria de Azóia, do Parque Urbano de Santa Iria de Azóia e o próprio Dia de Santa Iria. O programa de actividades decorre durante todo o mês, com início no dia 10, e desenvolvem-se em torno do Património, da Cidadania, das Artes e da Ciência.

A ADAL não poderia deixar de dar um contributo para estas celebrações, tendo optado por realizar a exposição de bolso “De Aterro a Parque Urbano – Narrativa ilustrada de um (Re)nascimento”, que fará itinerância nas muitas actividades a realizar.

Está de parabéns a ADPAC – Associação de Defesa do Património Ambiental e Cultural de Santa Iria de Azóia, por esta iniciativa!

DGPC pondera classificação do Convento dos Mártires e da Conceição em Sacavém

A ADAL que tomou a iniciativa de denunciar o estado de lastimoso abandono e destruição em que se encontra o Convento dos Mártires e da Conceição em Sacavém, teve oportunidade de acompanhar a visita ao imóvel de um técnico especializado da Direcção Geral do Património Cultural.

Na ocasião houve oportunidade de se evidenciar a importância histórica e cultural do imóvel, bem como a relevância para a Cidade e o superior interesse colectivo de ser recuperado, beneficiado e classificado, para a sua valorização futura e consequente valorização de Sacavém.

PELA MOBILIDADE E O AMBIENTE Aproveitar o potencial do novo Passe Único

A ADAL considera que a problemática dos transportes é uma questão central para a mobilidade, a vida dos que moram, trabalham e estudam no concelho de Loures, com impactos decisivos na Economia, Ambiente e bem estar das populações.

Saudamos por isso a medida do novo Passe Social Único que aumenta o rendimento disponível de muitas famílias, reduz o uso da viatura individual e, logo, a emissão de gases com efeito de estufa, melhora a circulação automóvel, e facilita o acesso dos cidadãos ao trabalho, recreio, convívio e cultura.

Em Loures, onde é evidente a adesão ao Passe Único, a utilização do transporte colectivo decorrente do novo Passe pode ter ainda um aumento considerável se forem resolvidas as insuficiências e estrangulamentos da actual rede de transportes do concelho, e se melhorem alguns aspectos complementares.

Com o término dos actuais contratos de concessão de transportes públicos rodoviários na Área Metropolitana de Lisboa em 2020, abre-se uma oportunidade única de potenciar, com o Passe Único, uma rede de transportes adequada e sustentável.

Em Loures, onde o Metro apenas chega a Moscavide e o transporte ferroviário de passageiros, segundo os números disponíveis, anda à volta de 2%, é fundamental aproveitar esta oportunidade para rever e melhorar a rede de transportes rodoviários inter e intra municipais.

Assim impõe-se a revisão e actualização dos objectivos e estratégia de transportes colectivos do Concelho de Loures que assuma os seguintes aspectos centrais:
• A imperiosa necessidade de expansão do Metro a Loures-Infantado e Sacavém,
• O melhor aproveitamento da linha da Azambuja, com 4 estações no concelho: Santa Iria de Azoia, Bobadela, Sacavém e Moscavide,
• A indispensável articulação dos vectores ferrocarril com os transportes rodoviários.

Neste quadro propõe-se a elaboração dum Plano de Transporte Colectivo Rodoviário Inter e Intra Municipal para o horizonte temporal do novo contrato de concessão, que tenha em conta os objectivos traçados no PDM de Loures e as orientações contidas no URBACT- Urban Agenda for the UE, e melhorando:

• A ligação de Loures aos Concelhos vizinhos e nomeadamente à Cidade de Lisboa;
• A articulação entre os diversos meios de transporte;
• A quantidade e densificação das ligações entre as localidades do Concelho.

No que toca ao Transporte Ferroviário de passageiros na zona oriental do Concelho, com cerca de 130 mil habitantes, propõe-se a elaboração dum Estudo que, tendo em conta o potencial aberto pelo Passe Único, avalie a possibilidade dum melhor aproveitamento daquela muito pouco utilizada infraestrutura, nomeadamente através de medidas como: o aumento da frequência dos comboios, a criação de carreiras bairro para ligação das estações às áreas circundantes, estacionamento próximo das estações ferroviárias, ciclovias nos troços de acesso às estações onde o trânsito rodoviário constitua risco de segurança para os ciclistas, a melhoria da segurança e conforto dos acessos pedonais às estações.

Será indispensável que a discussão dos Planos e Medidas a adoptar conte com a participação das populações interessadas.

Para além do contributo directo para o objectivo da redução de emissões de CO2, e de outras vantagens já apontadas, o alargamento e melhoria da rede transportes colectivos do concelho e a racionalização e densificação das ligações no seu interior, são também um factor chave para o Desenvolvimento Sustentável do concelho de Loures, reduzindo a sua ainda grande dependência da cidade de Lisboa, dando-lhe uma acrescida autonomia, criando condições que propiciem a dinamização da actividade económica, e o aumento da oferta de emprego, recreio e cultura.

A ADAL, sem prejuízo do aprofundamento da reflexão que prosseguirá sobre esta matéria, desde já, pode adiantar que:

  1. Não aceitará e não se conformará com actuações demagógicas, eleitoralistas ou manobristas;
  2. Contribuirá com todos os esforços ao seu alcance para impulsionar uma estratégia sustentável para os transportes públicos e tomará a iniciativa de convidar todas as Comissões de Utentes de Transportes Públicos existentes no Concelho para uma apreciação conjunta e partilha de pontos de vista e acções.