Posição Pública | ADAL e os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável

No decurso de 2018 a ADAL fez uma reflexão sobre os ODS-Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, considerando-os como vertentes de trabalho na construção do canal multi plataformas digitais “Loures Sustentável”, desenvolvido numa parceria ADAL – PAHD Comunicação Audiovisual e lançado no dia 24 de Novembro de 2018.

Em relação à Agenda 2030 por um Desenvolvimento Sustentado, aprovada na
Assembleia Geral da ONU em Outubro de 2015, a ADAL torna público que:

  • Partilha as preocupações quanto à importância e gravidade de questões como as alterações climáticas, o esgotamento dos recursos naturais, o modelo de desenvolvimento económico, e a persistência da pobreza e das desigualdades económicas e sociais;
  • Valoriza a generalidade dos Objectivos contidos na Agenda 2030, e compromete-se a empenhar-se no seu cumprimento;
  • Exprime as suas reservas quanto às orientações neoliberais e de defesa da globalização contidas naquela Agenda, bem como à escassez de meios e de empenhamento da ONU e dos países signatários para a sua concretização;
  • Compromete-se a adoptar nos seus planos, projectos, e actividades, os objectivos da Agenda 2030, particularmente os que se enquadram no âmbito da sua intervenção em defesa do Ambiente e Património de Loures;
  • Ao longo de 2019 irá anunciando os objectivos concretos da ADAL, quer no que respeita à defesa do Ambiente e Património do concelho de Loures, quer a outras questões de ordem mais geral como o combate e prevenção às dramáticas Alterações Climáticas;
  • Responsabiliza as entidades publicas do país, e em particular o governo e a câmara de Loures, para que estabeleçam compromissos, prioridades e planos para o cumprimento daqueles objectivos, e que lhes atribuam os meios materiais e humanos indispensáveis à sua concretização;
  • Apela à participação da população de Loures, e em particular dos seus associados, para que se informem sobre os objectivos da Agenda 2030 da ONU, bem como das acções desenvolvidas a âmbito nacional e local, dando o seu apoio e contributo para a respectiva concretização.

Edição de livro sobre Valflores 

A ADPAC-Associação de Defesa do Património Ambiental e Cultural de Santa Iria da Azóia lançou um livro, em forma de conto, intitulado “QUINTA DE VALE DE FLORES – O SEGREDO DAS ABÓBORAS”, que tem como enquadramento o projecto em desenvolvimento pela Associação, o qual pretende celebrar e comunicar “pela arte e com o coração“ o renascimento da Quinta de Vale de Flores.

As autoras, Cristina Costa (texto) e Cláudia Filipe (ilustração), docentes da Escola do 2.º e 3.º ciclos de Santa Iria da Azóia, fazem parte do grupo de cidadãos com raízes ou ligações locais que aceitaram o desafio de darem a conhecer à comunidade o processo de salvaguarda e reabilitação de Vale de Flores.

O Palácio e Quinta de Valflores é também causa da ADAL, pelo que congratulamos a ADPAC por esta iniciativa que contribui para dar visibilidade a este conjunto patrimonial quinhentista de valor ímpar.  De realçar que esta iniciativa está associada ao Ano Europeu do Património Cultural.

Deixamos repto que nesta época de maior consumismo se alie o gesto à cultura. E aguçamos a curiosidade, certos que vão querer conhecer a história completa: “um palácio esquecido, um zambujeiro envelhecido e uma menina aborrecida” toda a história é animada a partir da descoberta de uma semente especial – do Conhecimento – que vai ligar e dar uma nova vida a estas personagens.

À venda nas papelarias: Paviana, Rabiscos e Castelo de Palavras (em Santa Iria de Azóia) ou pode ser adquirido on-line:  http://edicoesmahatma.pt/inicio/131-quinta-de-vale-de-flores-9789898865427.html.

Boa leitura!