ADAL reúne com Comissão de Ambiente, Qualidade de Vida, Recursos Naturais e Animais

A ADAL reuniu com a Comissão de Ambiente, Qualidade de Vida, Recursos Naturais e Animais.

No seguimento dos contactos que a Associação estabeleceu com os diversos representantes dos partidos políticos com assento quer na Câmara Municipal, quer na Assembleia Municipal, tendo em vista a salvaguarda, protecção e requalificação do Paul das Caniceiras, o intuito da Comissão foi agora de compreender o  desenvolvimento do processo.

Foi assim efectuada uma recapitulação das diligências tomadas, que terminaram, na semana passada, com audiência com o Presidente da Câmara Municipal.

Considerando que o objectivo final desta causa da ADAL é a classificação do Paul das Caniceiras enquanto Área Protegida de Âmbito Regional/Local, é com crescente expectativa que se aguarda a decisão do assunto e a deliberação tomada pelo executivo municipal para posterior classificação pela Assembleia Municipal.

Que 2019 seja auspicioso para a valorização e defesa deste importante património natural do concelho.

PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE LOURES recebe ADAL

A ADAL foi recebida em audiência pelo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Loures, Dr. Bernardino Soares, acompanhado pelo Vice- Presidente Dr. Paulo Piteira e por técnicos municipais.

O objectivo principal do encontro foi o de transmitir aos responsáveis municipais o resultado das diligências desenvolvidas pela Associação junto dos grupos políticos locais em ordem à apresentação do projecto de classificação do Paul das Caniceiras como Área Protegida de Âmbito Local/Regional, propósito que a ADAL se tinha proposto realizar por considerar que a matéria é partidariamente inócua e não constitui motivo de diferenciação ideológica, mas antes de um valor comum dos munícipes de Loures. Iniciativa que a ADAL considera não só importante como de alguma urgência, dado bastar um só ano de seca severa para comprometer irremediavelmente aquele frágil ecossistema.

Assinale-se que a proposta, tal como esperávamos, dado não se tratar de matéria partidariamente controversa, foi bem recebida por todos os quadrantes partidários e apoiada por quase todos os grupos políticos na Câmara Municipal e na Assembleia Municipal, com excepção do Grupo de Representantes do PS na Assembleia Municipal que não respondeu a várias tentativas e contactos desenvolvidos pela ADAL.

Dada conta aos presentes na reunião daqueles contactos, os responsáveis municipais acolheram com satisfação a iniciativa realizada bem como os resultados transmitidos da disponibilidade dos grupos políticos para um trabalho conjunto de todas as partes, para que se torne possível e concretizável o objectivo proposto pela ADAL, sabendo-se que o processo terá de envolver outras partes e outros níveis de responsabilidade do Estado e de particulares, mas com a noção de que urge fazer progredir, em nome dos valores ambientais, patrimoniais, pedagógicos e turísticos envolvidos.

A ADAL preconiza o sucesso da missão para 2019.

Causa da ADAL | Aquedutos de Santo Antão do Tojal e Rua dos Arcos

Na sequência de contactos promovidos no primeiro trimestre de 2018 pela ADAL, junto do Partido Ecologista Os Verdes, para apresentação das causas da ADAL Paul das Caniceiras e Aqueduto de Santo Antão do Tojal e Rua dos Arcos, designadamente reunião a 15 de Fevereiro e visita aos locais no dia 5 de Março, os deputados José Luís Ferreira e Heloísa Apolónia remeteram ao Governo / Ministério da Cultura, em 16 de Abril de 2018, através do Presidente da Assembleia da República, um pedido de esclarecimento sobre as seguintes questões:

  1. Quais os motivos que levaram ao congelamento da verba prevista para as obras de conservação e recuperação do Aqueduto de Santo Antão do Tojal?
  2. Que diligências foram desenvolvidas no sentido da requalificação deste monumento?
  3. Quando prevê o Governo que seja iniciada a intervenção de requalificação dos Aquedutos?
  4. Qual o tempo previsto para essa requalificação?

O Aqueduto de Santo Antão do Tojal, construído em 1728, tem uma extensão de cerca de dois quilómetros, e mais de 90 arcos, está classificado como Imóvel de Interesse Público. Em 1991, foi objecto de um restauro pela então Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais, num processo a concluir em 2000.  No entanto, esse processo nunca foi concluído.

A ADAL aguarda, com expectativa, a posição da nova Ministra da Cultura, Graça Fonseca, sobre este notável exemplar da arquitectura barroca. E promete não abandonar esta causa!

Reunião técnica com biólogos investigadores do Paul das Caniceiras

A ADAL participou numa reunião técnica de acompanhamento das questões do Paul das Caniceiras, ecossistema de zona húmida localizado em Santo Antão do Tojal.

Com a presença dos biólogos investigadores deste Paul, onde ainda residem espécies raras de peixes – como a ‘Boga de Lisboa’ – para além de reafirmar-se a importância da sua preservação, foi avaliada conjuntamente a proposta de classificação de Área Protegida de Âmbito Local, anotadas outras pistas de trabalho e o envolvimento de outros actores, para além de sugestões para um espaço que se pretende de fruição pública.

Sendo este um processo que está numa fase embrionária, foi manifestada ainda a disponibilidade para continuarem a acompanhar e apoiar no âmbito da componente científica.