Comemorações do 10º aniversário da ADAL

21.01.2018

Santo Antão do Tojal

O programa constou de três actividades: Visita guiada a elementos do património construído e ambiental; almoço convívio; sessão “Causas da ADAL”

[span4]

[/span4][span4]

[/span4]
Parceiros: Junta de Freguesia de Santo Antão do Tojal

Na sua acção de defesa do Ambiente e Património do concelho de Loures, a ADAL tem vindo a adoptar um conjunto de CAUSAS que visam sensibilizar e mobilizar as populações, instituições e entidades oficiais, para as questões de defesa do ambiente e de preservação do património concelhio, como o Palácio de Valflores, a Frente Ribeirinha, a Água é de Todos, e a defesa da Valorsul como empresa publica.
Àquelas Causas juntam-se agora duas novas Causas: o Aqueduto de Santo Antão do Tojal e o Paul das Caniceiras, razão pela qual escolhemos Santo Antão do Tojal para realizar as comemorações do 10º aniversário da ADAL.
Na manhã do dia 21 de Janeiro realizou-se uma visita ao património construído e ambiental, guiada por José Júlio Morais, e após o almoço convívio, promovemos o Debate “As Causas da ADAL”, em que participaram, para além de José Júlio Morais (ex-Presidente da JF de Santo Antão do Tojal), que nos falou dos projectos de salvaguarda dos Aquedutos e Rua dos Arcos, e os biólogos Ana Veríssimo e Filipe Ribeiro que nos esclareceram sobre a importância do Paul das Caniceiras para a preservação da biodiversidade.
Na sessão foi ainda passado o filme “10 anos em 10 minutos”, que resume os principais projectos da ADAL, desde a sua génese, há cerca de 20 anos, enquanto movimento de cidadãos preocupados com os impactos da instalação da incineradora em São João da Talha (Valorsul).

Caminhada e visita guiada ao conjunto patrimonial de Santo Antão do Tojal

No domingo dia 21 de Janeiro entre as 10:30 e as 12:30, integrado na comemoração do 10º aniversário da ADAL, terá lugar uma caminhada e visita guiada ao conjunto patrimonial de Santo Antão do Tojal.

Num percurso pedestre de cerca de 2 horas, em ritmo de passeio e conversa informal visitaremos pontos importantes do património cultural e patrimonial de Santo Antão do Tojal como o Cruzeiro, a Igreja Matriz, o Palácio dos Arcebispos, o Palácio Fonte-Monumental, o Chafariz dos Arcos, entre outros.

A participação é livre, e aberta a todos, e o ponto de encontro é no Largo Francisco Maria Borges, domingo dia 21/1 às 10:30.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assembleia geral da ADAL | Dia 12 de Dezembro

Nos termos do artigo 29.º do Regulamento Interno, a ADAL convocou a Assembleia Geral para reunir no próximo dia 12 de Dezembro, às 20H30, no Espaço A na Casa do Adro, na Rua Padre António Vieira, em Loures.

Ordem de Trabalho:

1.     Plano de Actividades e Orçamento para 2018

2.     Informações

3.     Apresentação e votação da acta

Se à hora marcada não estiverem presentes 50% dos associados, a Assembleia-geral reunir-se-á em segunda convocação meia hora depois, qualquer que seja o número de associados presentes.

PARTICIPE!

A participação dos sócios e amigos da ADAL é importante para vincular e fundamentar a actividade da nossa associação e – JUNTOS – garantirmos a defesa do Ambiente e do Património de Loures.

 

 

ZONA ESPECIAL DE PROTECÇÃO DA QUINTA DE VALFLORES | Parecer da ADAL

Na sequência do Anúncio nº 189/2017, A ADAL emitiu parecer no âmbito da Consulta Pública relativo à revisão da Zona Especial de Proteção da Quinta de Valflores, em Santa Iria de Azoia.

No sentido de assegurar a salvaguarda e valorização da Quinta de Valflores, e na perspetiva da sua reclassificação como Monumento Nacional, a ADAL considera que será de maior interesse o desenvolvimento de um Plano de Pormenor de Salvaguarda para o local.

PARECER:

Proposta de revisão, de acordo com o nº2 do artigo 77.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, de 23 de outubro, da zona especial de proteção (ZEP) da Quinta de Valflores, em Santa Iria de Azoia, União das Freguesias de Santa Iria de Azoia, São João da Talha e Bobadela, concelho de Loures, distrito de Lisboa, fixada pela Portaria n.º 129/99, publicada no DR, II Série, n.º 35, de 11 de fevereiro

Novembro de 2017

Parecer da ADAL – Associação de Defesa do Ambiente de Loures

Relativamente à redefinição de uma zona de proteção para a Quinta de Valflores, com a designação de dois zonamentos (zona 1 e 2), a ADAL manifesta concordância genérica com a proposta apresentada.

Consideramos que as medidas expostas no documento, nomeadamente com a inclusão de uma zona de sensibilidade arqueológica, favorecem um conjunto de ações de salvaguarda e valorização do bem classificado em análise e sua envolvente.

Não obstante a concordância geral, consideramos que a fundamentação para a obliteração da “área non aedificandi” exposta no ponto 7.5.1 a) carece de fundamentação e mesmo de pertinência, designadamente focando os instrumentos de gestão territorial e de defesa do património que constituem as alternativas à salvaguarda que o documento legal visa assegurar. Somos portanto de parecer que deve ser mantida a “área non aedificandi” adequada.

Assinalamos a importância da inclusão da ideia de desenvolvimento do processo de salvaguarda e valorização da Quinta de Valflores, nomeadamente com a alteração da classificação de Imóvel de Interesse Público para Monumento Nacional. A ADAL propõe que na fase de reclassificação deste bem patrimonial se alarguem os limites da zona classificada, de modo a incorporar as estruturas hidráulicas preexistentes, já inventariadas e localizadas junto ao curso de água.