2018

O ano de 2018 foi um ano especial. A ADAL completou 10 anos da sua formalização. Para além de um cumprimento satisfatório do plano de actividades, devem destacar-se as iniciativas comemorativas desse momento único na vida da organização.

Assim:

1. Consolidação associativa e Funcionamento

  • A adesão de novos sócios ficou abaixo das expectativas para o ano especial que se viveu, quer do ponto de vista simbólico, quer do ponto de vista da actividade. De facto, em 2018, apenas se verificaram 3 novas adesões, não obstante as dezenas de contactos levados a cabo. É um aspecto que terá de continuar a merecer a atenção e empenho dos órgãos sociais.
  • A celebração do 10º aniversário mereceu uma preparação e um conjunto de actividades inéditas, em particular, o Programa levado a cabo em 21 de Janeiro:
  • Visita ao conjunto patrimonial de Santo Antão do Tojal e Paul das Caniceiras;
  • Almoço Comemorativo com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Loures – Dr. Paulo Piteira e do representante da Junta de Freguesia de Santo Antão do Tojal, José Gomes;
  • Fórum “Causas da ADAL”
    • Momento 1 | Filme: ADAL – 10 Anos em 10 minutos
    • Momento 2 | Presidente da AG da ADAL
    • Momento 3 |Os aquedutos e a Rua dos Arcos – as recuperações que faltam
      • José Júlio Morais ex-Presidente da Junta de Freguesia de Santo Antão do Tojal
    • Paul das Caniceiras e a biodiversidade
      • Biólogos Ana Veríssimo e Filipe Ribeiro
  • Na preparação das comemorações do 10º aniversário, foi adoptada uma adaptação temporária do símbolo da associação à efeméride e que se manteve em uso ao longo de todo o ano:

Foi realizada em 22 de Março a Assembleia Geral Ordinária, na qual se aprovaram o Relatório de Actividade e as Contas de 2017, para além da escolha dos aspectos Positivos e Negativos de 2017 nos domínios do Ambiente e do Património.

  • Realizou-se uma reunião descentralizada dos Orgãos Sociais:
    • Abril > Nas instalações da Junta de Freguesia de Fanhões
  • Oportunamente, os Orgãos Sociais decidiram adoptar o projecto “Linha do Tempo” com o propósito de registar toda a actividade relevante da ADAL ao longo da sua existência, quer nos 10 anos passados, quer em todos aqueles em que exista no futuro.
  • Foi definido o funcionamento de um grupo executivo que, sempre que se verifique a necessidade, reunirá em período intermédio às reuniões mensais ordinárias, com composição variável.
  • Por razões de natureza profissional e de mudança de domicilio do Presidente e Secretário da Mesa da Assembleia Geral, respectivamente, Sérgio Pratas e Lírio de Carvalho, que abdicaram das suas funções, houve necessidade de proceder à eleição de uma nova mesa da Assembleia Geral da Associação, donde resultou a entrada para os Orgãos Sociais de Ana Mata e Miguel Ferreira.

Comunicação/divulgação

  • Foi desenvolvido e consolidado o processo de mudança do e-sítio da Associação em ordem à apresentação de uma imagem renovada e uma nova dinâmica informativa. Deseja-se que o e-sítio seja agora potenciado o mais possível;
  • A utilização do perfil do Facebook, obteve importantes resultados de notoriedade da ADAL e de algumas das suas actividades;
  • Deu-se continuidade à edição mensal do Boletim Linha de Defesa, ao longo dos 12 meses do ano, com os conteúdos editoriais a serem partilhados e decididos pelo conjunto dos órgãos sociais;
  • Recorreu-se ainda ao Portal do Movimento Associativo de Loures, para divulgação das iniciativas desenvolvidas;
  • Com início em Junho , em colaboração com a rádio Horizonte FM e na Rubrica ”Um Bom Ambiente”, a Associação apresentou por intermédio de Tiago Pratas ao auditório da estação, Eco-alertas ADAL;
  • Novidade substancial terá ocorrido em 24 de Novembro com a realização de um Debate emitido em directo por canais de comunicação suportados na internet e que marcou o lançamento público do Canal Loures Sustentável, promovido pela produtora PAHD em cooperação com a ADAL.

Relações institucionais

No âmbito das relações institucionais, a ADAL participou ou disponibilizou-se a participar:

  • Conselho Municipal do Associativismo
  • Conselho Consultivo da Várzea e Zonas Costeiras de Loures (nenhuma reunião realizada)
  • Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul
  • Parceria com a Câmara Municipal de Loures no âmbito do processo de reabilitação da Quinta e Palácio de Valflores
  • Projeto Urbagri4Women da AidGlobal
  • Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente CPADA | Adesão

Relativamente às instituições da Administração Central, cumpriu-se o envio anual de informação ao Instituto Nacional de Estatística e à Agência Portuguesa de Ambiente, neste caso com a finalidade de manutenção do estatuto de ONGA.

Programa Linha de Defesa

Este Programa enquadra vários Projectos (Eco-Alerta, Retrato Ambiental de Loures, Acções de Informação e Sensibilização, Acções de advertência e acompanhamento, Positivo e Negativo do ano).

Eco-Alerta

Foram recebidas e encaminhadas/esclarecidas nove denúncias e alertas relativos a problemas ambientais ou entendidos como sendo pelos denunciantes, mantendo-se um volume escasso de situações reportadas.

Retrato Ambiental de Loures

Trata-se de uma iniciativa sob reflexão relativamente ao seu modelo e expressão que, por falta de adesão, não teve lugar em 2018. A expectativa é de que possa regressar em 2019 noutros moldes mais atractivos e susceptível de gerar maior interesse e participação.

ACÇÕES DE ADVERTÊNCIA, INFORMAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO

Positivo e Negativo do Ano

Foram escolhidos, na Assembleia Geral Ordinária de 22 de Março, os seguintes aspectos Positivos e Negativos, referentes ao ano 2017:

  POSITIVO NEGATIVO
AMBIENTE Campanha reivindicativa para extensão do Metropolitano a Loures e Sacavém  

Destinatário: CM Loures  
Problemas ambientais no Bairro de S. Francisco, Camarate  

Destinatários: CM Loures e Ministério do Ambiente
PATRIMÓNIO Bodas de Ouro do Rancho de Folclore e Etnografia “Os Ceifeiros da Bemposta”  

Destinatário: Rancho de Folclore e Etnografia “Os Ceifeiros da Bemposta”  
Estado de abandono do Convento dos Mártires e da Conceição em Sacavém  

Destinatários: Ministério da Cultura e CM Loures  

Como habitualmente, emitiu-se Posição Pública sobre a decisão da Assembleia Geral expressa no quadro anterior. Aproveitou-se a realização de um plenário do Conselho Municipal do Associativismo para proceder à entrega do Certificado Positivo do Património ao Rancho de Folclore e Etnografia “Os Ceifeiros da Bemposta”, bem como o Certificado Positivo do Ambiente, à Câmara Municipal de Loures. Os restantes certificados Positivo e Negativo 2017 foram remetidos às entidades destinatárias no âmbito do Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho).

Comunicados, Posições/Informações Públicas com divulgação nos órgãos de comunicação social de expressão nacional e local, bem como sócios e grupo de destinatários do nosso Boletim mensal, para além do executivo municipal e, conforme as situações, executivos de Freguesias ou Assembleia Municipal:

  • ADAL saúda Fanhões CAPITAL DO CALCETEIRO > Fevereiro
  • Dia Internacional das Zonas Húmidas > Fevereiro
  • Dia Mundial da Árvore | Evidenciar o Arvoredo de Interesse Público no Concelho de Loures > Março
  • MONUMENTOS E SÍTIOS EM LOURES Suscitam preocupação > Abril
  • HORTAS URBANAS ADAL propõe novo impulso no Concelho de Loures > Maio
  • Posição Pública a ADAL e os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável > Dezembro

Actividades e Registos

Assinale-se que o processo de reabilitação da Quinta e Palácio de Valflores teve um progresso assinalável, tendo chegado ao final do ano de 2018 com as obras de consolidação em curso.

Foi concluído, numa iniciativa da ADAL, o percurso pedonal “Do Palácio ao Castelo” entre o espaço patrimonial da Quinta de Valflores e o Castelo de Pirescoxe, passando pela Oliveira Milenar localizada no Bairro da Covina. O percurso a poder ser usufruído pelos munícipes estará disponível a todos no e-sítio da ADAL.

Foi realizada reunião com o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Loures, responsável pela área do património cultural tendo-se procedido a uma análise conjunta de vários problemas em monumentos e sítios do Concelho e equacionadas respostas e soluções.

Digno de destaque a Proposta de Área Protegida de Âmbito Regional/Local para o Paul das Caniceiras, apresentada pela ADAL a todos e cada um dos grupos políticos com representação na Câmara Municipal (CDU, PS e PSD) e na Assembleia Municipal de Loures (CDU, PSD, BE, PPM, PAN e CDS). Assinala-se que apesar de todas as diligências o Grupo do PS na Assembleia Municipal não recebeu e não ouviu a ADAL sobre esta matéria. Foram ainda realizadas duas reuniões com o Presidente da Câmara Municipal de Loures, no lançamento da Proposta e no final da ronda de contactos com os grupos políticos. Foi também realizada uma reunião com a Comissão de Ambiente da Assembleia Municipal, a convite desta.

A ADAL propôs também à Câmara Municipal de Loures a realização de uma Conferência dedicada à mitigação dos efeitos das Alterações Climáticas e a pedido do Sr. Presidente da Câmara, correspondeu com dois modelos diferentes e possíveis de organização do evento.

Perspectivas para 2019

A Direcção considera ser de manter o rumo de diversificar, reforçar e inovar quanto às estratégias de aproximação e eficácia na comunicação com os munícipes. Não se estando perante uma tarefa fácil, importará prosseguir a análise, mas também a potenciação dos instrumentos já alcançados, como o novo e-sítio na internet e o canal Loures Sustentável.

Perspectiva-se manter a participação activa nas instâncias para que tem sido convidada a ADAL, nomeadamente, o Conselho Municipal do Associativismo, a Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul, e outros fóruns que venham a constituir-se, por iniciativa das autarquias ou de outras entidades, e que se considerem pertinentes, no quadro dos objectivos da ADAL.

A sustentabilidade vem sendo progressivamente adoptada com objectivo central dos propósitos da ADAL. A sustentabilidade ambiental, cultural, económica, territorial e social são desígnios de interesse comum e colectivo para os quais se revela da maior importância mobilizar e fazer agir instituições e cidadãos. Perspectiva-se, por isso, impulsionar e fomentar a causa da sustentabilidade como eixo primordial das políticas e actividades no Concelho de Loures por toda a rede económica e social.

Sem embargo, manter-se-ão como causas activas da ADAL:

i. Ambiente: Paul das Caniceiras e Frente Ribeirinha do Tejo

ii. Património: Aquedutos de Santo Antão do Tojal e Rua dos Arcos

A ADAL procurará aprofundar o relacionamento com as associações congéneres e as relações com a CPADA a que aderiu em 2018.

Importará em 2019, reforçar a ligação aos associados e incentivar o recrutamento de potenciais novos sócios em ordem ao crescimento e consolidação da Associação e da sua actividade .

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2017 já disponível para consulta

No ano de 2017 verificou-se um nível de cumprimento satisfatório do plano de actividades e, nalguns casos, foi possível ir mais longe do que se havia previsto.

Destaca-se, assim:

CONSOLIDAÇÃO ASSOCIATIVA E FUNCIONAMENTO

• As acções de recrutamento de novos sócios foram em reduzido número e pouco intensas,
o que se traduziu na adesão de apenas um novo sócio no ano em causa e exige uma
actuação mais determinada neste domínio nos próximos anos.

• O investimento na celebração do aniversário foi deliberadamente reduzido, tendo em
vista o 10o aniversário, a assinalar em Janeiro de 2018. Assim, grande parte da preparação
desse momento especial decorreu no último trimestre do ano de 2017.
o Na preparação das comemorações do 10o aniversário, foi adoptada uma
adaptação temporária do símbolo da associação à efeméride:

Foi realizada em 16 de Março a Assembleia Geral Ordinária, na qual se aprovou o
Relatório e Contas de 2016, para além da eleição dos aspectos Positivos e Negativos
de 2016 nos domínios do Ambiente e do Património.

• O ano de 2017, permitiu ainda a solução do problema da “sede”, após variadíssimos
contactos com a Câmara Municipal de Loures, a criação do Espaço A pela autarquia para
apoio ao movimento associativo, viabilizou a solução que melhor correspondia aos
interesses da Associação, permitindo um espaço de reuniões e uma área para arrumação
de arquivo e outros bens da ADAL.

• Realizaram-se reuniões descentralizadas dos Orgãos Sociais:
o Abril > Nas instalações dos Bombeiros Voluntários de Bucelas
o Setembro > Nas instalações da Junta de Freguesia em S. Julião do Tojal

 

COMUNICAÇÃO/DIVULGAÇÃO

• Foi desencadeado e desenvolvido o processo de mudança do e-sítio da Associação em
ordem à apresentação pelo 10o aniversário de uma imagem renovada que proporcione
melhor relação com os associados e o público em geral. Em Maio, foi decidida a aquisição
de serviços à empresa Algoritmo;

• Incrementou-se a utilização do perfil do Facebook, com importantes resultados de
notoriedade da ADAL e de algumas das suas actividades;

• Deu-se continuidade à edição mensal do Boletim Linha de Defesa, ao longo dos 12 meses
do ano, com os conteúdos editoriais a serem partilhados e decididos pelo conjunto dos
órgãos sociais.

• Recorreu-se ainda ao Portal do Movimento Associativo de Loures, para divulgação das
iniciativas desenvolvidas.

 

RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

No âmbito das relações institucionais, a ADAL participou ou disponibilizou-se a participar:
• Conselho Municipal do Associativismo
• Conselho Consultivo da Várzea e Zonas Costeiras de Loures
• Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul
• Parceria com a Câmara Municipal de Loures no âmbito do processo de reabilitação da
Quinta e Palácio de Valflores

Quanto ao Conselho Municipal do Associativismo haverá a destacar a participação no “grupo de trabalho para a reflexão sobre o Associativismo no Concelho de Loures” que produziu um importante documento denominado “Repertório para a Inovação e Boas Práticas Associativas”.

Por seu lado, o processo de reabilitação da Quinta e Palácio de Valflores viu aprovada a
candidatura ao POR Lisboa para a consolidação do Palácio como primeiro passo para uma futura e completa recuperação. No âmbito da parceria, a ADAL, desenvolveu várias iniciativas, designadamente uma visita organizada à Quinta de Valflores e a definição de um percurso pedestre entre este espaço patrimonial e o Castelo de Pirescoxe. A Associação elaborou ainda parecer sobre a “Consulta Pública Revisão da ZEP da Quinta de Valflores: Parecer foi enviado à DGPC com conhecimento da CM Loures”.

Relativamente às instituições da Administração Central, cumpriu-se o envio anual de informação ao Instituto Nacional de Estatística e à Agência Portuguesa de Ambiente, neste caso com a finalidade de manutenção do estatuto de ONGA.

 

PROGRAMA LINHA DE DEFESA

Este Programa enquadra vários Projectos (Eco-Alerta, Retrato Ambiental de Loures, Acções de Informação e Sensibilização, Acções de advertência e acompanhamento, Positivo e Negativo do ano).

Eco-Alerta
Foram recebidas e encaminhadas/esclarecidas nove denúncias e alertas relativos a problemas ambientais, mantendo-se um número de situações reportadas aquém do que seria de esperar.

Retrato Ambiental de Loures
Registou-se o que pode considerar-se uma baixa participação, não obstante os esforços de
divulgação encetados. Trata-se de uma iniciativa a merecer nova reflexão relativamente ao seu modelo e expressão.

ACÇÕES DE ADVERTÊNCIA, INFORMAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO
Debate com as candidaturas municipais às Eleições Autárquicas de 2017
Realizou-se no dia 24 de Junho no Auditório da Associação Luís Pereira da Mota com
representantes do Bloco de Esquerda, Coligação Democrática Unitária, Coligação Primeiro Loures e Partido Socialista, contando-se com a colaboração do Jornal Notícias de Loures e da Rádio Horizonte FM. Significativo o facto de ter sido o único debate público entre as candidaturas.

Fórum do Património 2017
Organizado por GECoRPA – Grémio do Património realizou-se em 10 de Abril o Fórum do
Património 2017 – Unir as ONG em Defesa da nossa Herança Comum no qual a Associação esteve representada com a apresentação de uma comunicação.

Seminário “Sociedade e Inovação. Uma participação activa da comunidade local em matéria de ambiente”
Organizado pela Câmara Municipal de Loures, no dia 5 de Junho no Palácio Marqueses da Praia. Representou a ADAL com uma comunicação o Presidente da Direcção.

Positivo e Negativo do Ano
Foram escolhidos, na Assembleia Geral Ordinária de 16 de Março, os seguintes aspectos Positivos e Negativos, referentes ao ano 2016:

POSITIVO NEGATIVO

AMBIENTE

✓ Abertura ao público do Parque Urbano da Quinta dos Remédios
Destinatários: CM Loures e IST

✓ Projeto para a regularização Fluvial e Controlo de Cheias da Ribeira do Prior Velho –
Reconstrução do Caneiro de Sacavém
Destinatários: CM Loures e Ministério do Ambiente

✓ Estado degradado do Parque Urbano de Santa Iria de Azóia
Destinatário: CM Loures

PATRIMÓNIO

✓ Candidatura para consolidação estrutural do Palácio de Valflores
Destinatário: CM Loures

✓ Abertura do Núcleo Museológico Mário Roberto
Destinatário: Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Bucelas

✓ Acentuado desaparecimento das artes e ofícios tradicionais no Concelho de Loures
Destinatários: Ministério da Economia, Ministério da Cultura e CM Loures

✓ Destruição parcial dos lavadouros de Fanhões
Destinatário: Junta de Freguesia de Fanhões

Os certificados Positivo e Negativo 2016 foram remetidos às entidades destinatárias no âmbito do Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho) e a iniciativa de entrega dos certificados mereceu a emissão de uma Informação Pública.

Comunicados, Posições/Informações Públicas com divulgação nos órgãos do comunicação social de expressão nacional e local, bem como sócios e grupo de destinatários do nosso Boletim mensal, para além do executivo municipal e, conforme as situações, executivos de Freguesias ou Assembleia Municipal:
• Posição sobre a Central Nuclear de Almaraz > Janeiro
• Ofício ao Presidente da Câmara Municipal de Loures sobre a situação na Quinta da
Francelha – Prior-Velho > Fevereiro
• Posição sobre a situação do Bairro de S. Francisco – Camarate > Março
• Informação respeitante ao Debate organizado com candidatos municipais às eleições
autárquicas 2017 > Junho

PERSPECTIVAS PARA 2018
Mantendo-se o rumo quanto aos projectos e a linha de intervenção dos últimos anos, a Direcção considera ser de diversificar, reforçar e inovar quanto às estratégias de aproximação e eficácia na comunicação com os munícipes. Reconhecendo que esta é uma tarefa difícil entende-se que se deve estar atento e continuara a procurar os meios e ferramentas para obter melhores resultados neste domínio.

O acompanhamento de processos do âmbito da gestão do território, sobretudo nas suas
dimensões ambiental e cultural, continuará a merecer a maior atenção por parte da ADAL, quer por via da manutenção da relação institucional com a Câmara Municipal de Loures, pelas importantes competências que detém em matéria de gestão do território, quer através dos projectos enquadrados no programa Linha de Defesa.

Nesse sentido, em Setembro de 2017, os órgãos sociais decidiram adoptar para impulsionar em 2018 as “novas causas”:

i. Ambiente: Paul das Caniceiras
ii. Património: Aquedutos de Santo Antão do Tojal e Rua dos Arcos

A Associação perspectiva também manter uma participação activa nas instâncias para que está convidada, nomeadamente o Conselho Municipal do Associativismo, a Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul, o Conselho Consultivo da Várzea e Costeiras de Loures, ou outros que se venham a constituir-se, por iniciativa a autarquia ou de outras entidades, e que se considerem pertinentes, no quadro dos objetivos da ADAL.

A ADAL procurará igualmente estar mais disponível para outro relacionamento com as
associações congéneres e os seus mecanismos associativos e/ou federativos.

Impor-se-á uma análise e reflexão para actuação concreta em torno do documento “repertório para a inovação e boas práticas associativas” do Conselho Municipal do Associativismo.

2016

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE 2016

No ano de 2016 verificou-se um nível de cumprimento satisfatório do plano de actividades.

Relativamente aos Programas e Projectos previstos / realizados, destacamos:

1. Consolidação associativa

– O oitavo aniversário da constituição formal da ADAL foi assinalado com a realização de um jantar, em Unhos, que reuniu dirigentes e associados, uma oportunidade para conviver e homenagear os cidadãos que, na década de 80 do Sec. XX, se mobilizaram em torno do processo de instalação da incineradora de São João da Talha, exercendo os mais genuínos deveres e direitos dos cidadãos, expressa na participação cívica em defesa do património ambiental, paisagístico e cultural, pelo direito à saúde e ao bem-estar das populações.

– Foi realizada em 31 de Março a Assembleia Geral Ordinária, na qual se aprovou o Relatório e Contas de 2015, para além da eleição dos aspectos Positivos e Negativos de 2014 nos domínios do Ambiente e do Património.

– Na mesma data realizou-se a Assembleia Geral Eleitoral, decorrente da qual tomaram posse os dirigentes para o período 2016 – 2020.

 

Comunicação/divulgação

– Deu-se continuidade à edição mensal do Boletim Linha de Defesa, também acessível no Site e na página do facebook.

Conseguiu-se, assim, fazer chegar aos destinatários preferenciais notícias sobre as actividades realizadas ou a realizar e diligências tomadas ou perspectivadas, no quadro da normal intervenção da Associação.

– Fez-se recurso, sempre que considerado adequado para divulgação das iniciativas, ao Portal do Movimento Associativo de Loures, no qual a Associação se encontra registada.

 

Relações institucionais

No âmbito das relações institucionais, destacamos as relações com a Câmara e Assembleia Municipal de Loures, entidade que, a pretexto da gestão de diversos processos, apela à nossa participação:

– Conselho Municipal do Associativismo

– Conselho Consultivo da Várzea e Zonas Costeiras de Loures

– Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul

– Parceria no âmbito do processo de reabilitação e Qualificação do património Cultural – Quinta e Palácio de Valflores

– Actualização do registo Municipal

– Continuidade do processo visando o estabelecimento de um pacto político municipal pela defesa da água como recurso natural público e sob controlo democrático, que se pode considerar ter tido assinalável sucesso, dadas as adesões que concitou.

Para além das relações com a Autarquia, há a destacar a manutenção da parceria com a Rádio Horizonte FM, para a emissão diária de spot de divulgação do projecto Eco-Alerta.

Quanto às instituições governamentais, cumpriu-se o envio anual de informação ao Instituto Nacional de Estatística e à Agência Portuguesa de Ambiente, neste caso com a finalidade de manutenção do estatuto de ONGA.

 

Programa Linha de Defesa

Este Programa enquadra vários Projectos (Eco-Alerta, Retrato Ambiental de Loures, Acções de Informação e Sensibilização, Acções de advertência e acompanhamento, Positivo e Negativo do ano).

 

Eco-Alerta

Foram recebidas e encaminhadas/esclarecidas nove denúncias e alertas relativos a problemas ambientais.

Considerando o esforço desenvolvido, designadamente em parceria com a Rádio Horizonte FM, para que os cidadãos possam utilizar este instrumento para encaminhar adequadamente as suas denúncias, reclamações e alertas, podemos concluir que o número de situações reportadas ficou aquém do expectável.

 

Retrato Ambiental de Loures

Registou um total de 24 trabalhos, registando-se uma evolução quantitativa, relativamente à edição de 2015, embora sem a expressão e representatividade pretendida.

 

ACÇÕES DE ADVERTÊNCIA, INFORMAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO

Avaliação do estado dos parques urbanos

Realizou-se no dia 20 de Abril uma visita a 3 parques urbanos (Parque Adão Barata – Loures, Parque Municipal de Montachique, Parque Urbano de Santa Iria de Azóia), tendo sido produzido um relatório de avaliação do seu estado de conservação geral, com recomendações. Este relatório foi entregue ao presidente da Câmara Municipal de Loures e Vereador do Ambiente, no dia numa reunião solicitada para o efeito.

Pelos Trilhos do Património e da Natureza

Não chegou a concretizar-se, devido às más condições atmosféricas, a actividade prevista para o dia 22 de Outubro, em Bucelas – PELOS TRILHOS do PATRIMÓNIO e da NATUREZA … em Bucelas

 

Loures, um Olhar por Dentro

Realizou-se uma visita guiada à exposição “Narrativas de um território”, no Museu Municipal de Loures – Quinta do Conventinho, em 19 de Março. Esta visita teve notícia / reportagem no Site da ADAL e no Boletim Linha de Defesa nº 15 / Março 2016

 

Positivo e Negativo do Ano

Foram eleitos, na Assembleia Geral Ordinária de 31 de Março, os seguintes aspectos Positivos e Negativos, referentes ao ano 2015:

POSITIVOS

NEGATIVOS

AMBIENTE ·   Plano de Acção dos SIMAR, com o reforço do número de trabalhadores e da frota, com melhorias no serviço de recolha de RSU.

Destinatário: SIMAR Loures e Odivelas

·   Ausência de intervenção de preservação do Paul das Caniceiras

Destinatário: CM Loures e Junta da União das Freguesias de SAT e SJT

·   Estado da Frente Ribeirinha do Tejo

Destinatário: Ministério do Ambiente, Ministério do Planeamento e Infra-estruturas e CM Loures

·   Privatização EGF/Valorsul

Destinatário: Primeiro-Ministro

PATRIMÓNIO ·   Arranque de campanha para o restauro da Igreja Matriz de Loures

Destinatário: Paróquia de Loures

·   Programa de percursos pedestres, a que se associam conteúdos informativos temáticos, de sensibilização para o Património Cultural.

Destinatário: CM Loures

·   Estado de decadência do Palácio de Valflores

·   Destinatário: Ministério da Cultura e CM Loures

·

·   Estado de decadência da Casa Medieval da Torre de Cima – Bucelas

·   Destinatário: Ministério da Cultura e Proprietário

 

Os certificados Positivo e Negativo 2015 foram remetidos às entidades destinatárias no âmbito do Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho) e a iniciativa de entrega dos certificados mereceu a emissão de uma Informação Pública.

 

Quanto a Comunicados, Posições/Informações Públicas foram emitidas oito, com divulgação nos órgãos de comunicação social de expressão nacional e local, bem como sócios e grupo de destinatários do nosso Boletim mensal, para além do executivo municipal e, conforme as situações, executivos de Freguesias ou Assembleia Municipal:

 

. Quinta e Palácio Valflores

Para manifestar regozijo e expectativa pelo interesse e manifestação de empenho, por parte do Ministro da Cultura, relativamente à necessidade de recuperar este exemplar da arquitectura residencial do séc. XVI, sujeito a um regime de protecção e classificado como Imóvel de Interesse Público (Dec. nº 28/82, DR 47 de 26 Fevereiro 1982, ZEP, DR 213 de 14 Setembro 1982, ZEP, Port. nº 129/99, DR 35 de 11 Fevereiro de 1999).

 

. Dia Mundial da Água

Cumprindo-se, nesta data, um ano, desde que a ADAL se comprometeu publicamente com a apresentação de um projecto de “PACTO POLÍTICO MUNICIPAL pela defesa da água como recurso natural público e sob controlo democrático”, aos órgãos autárquicos locais e municipais e às forças políticas representadas na Câmara Municipal, na Assembleia Municipal, nas Juntas de Freguesia e nas Assembleias de Freguesia, esta posição Pública dá conta do cumprimento da missão. Ao cabo de um ano já se verificava o apoio unânime das forças políticas, quer na Câmara Municipal, quer na Assembleia Municipal, quer nas Juntas de Freguesia de Loures, Bucelas e União das Freguesias de Bobadela, S. João da Talha e Santa Iria de Azóia e Assembleias de Freguesia de Loures, Lousa e União das Freguesias de Bobadela, S. João da Talha e Santa Iria de Azóia.

 

. Dia Internacional dos Monumentos e Sítios – salvaguarda da Casa Medieval da Torre de Cima

ADAL salientou a importância da Casa Medieval da Torre de Cima e a necessidade de serem tomadas medidas que impeçam a sua ruína. Trata-se de um paço senhorial baixo-medieval, construído muito provavelmente ainda no século XIV, localizado na encosta setentrional da Serra dos Picotinhos, na freguesia de Bucelas.

 

. Positivo e Negativo de 2015 (Ambiente e Património)

– Dia Mundial do Ambiente

Já referidas acima, no âmbito das acções de advertência, informação e sensibilização.

 

– Lavadouros de Ribas de Cima, Freguesia de Fanhões

Após deslocação ao local, no dia 19 de Julho de 2016, a convite do Presidente da Junta de Freguesia de Fanhões, na sequência de um pedido de esclarecimento da ADAL, datado de 13 de Julho, e atendendo à explicação e argumentos apresentados, a ADAL considerou a intervenção levada a cabo pela Junta de Freguesia inconveniente e desnecessária. Nesta Posição pública a ADAL realçou os aspectos positivos e negativos da intervenção e doas razões que lhe estiveram subjacentes, lançando várias sugestões e recomendações à Junta de Freguesia.

 

. Central de betonagem na frente ribeirinha do Tejo

. Ordenamento para a frente ribeirinha do tejo

A ADAL denunciou e tomou Posição Pública relativamente à instalação de uma central de betonagem, pela empresa Mota-Engil, em terreno confinante com a Valorsul e com a Plataforma Ferroviária da Bobadela, sem que as autoridades competentes tivessem intervindo, atempadamente para impedir mais um atentado ambiental na zona. A ADAL considera fundamental a elaboração de um plano de Ordenamento para a margem Norte do Tejo no distrito de Lisboa, com audição séria e prévia das populações.

 

Perspectivas para 2017

Mantendo-se os projectos e a linha de intervenção assumida, a Direcção considera ser de reforçar ou inovar quanto às estratégias de aproximação e eficácia na comunicação com os munícipes. Reconhecendo que esta é uma área de difícil gestão, por parte das associações em geral, há que estar atento e fazer recurso de todos os meios e ferramentas para alcançar maior sucesso neste domínio.

O acompanhamento de processos do âmbito da gestão do território, sobretudo nas suas dimensões ambiental e cultural, continuará a merecer a maior atenção por parte da ADAL, quer por via da manutenção da relação institucional com a Câmara Municipal de Loures, pelas importantes competências que detém em matéria de gestão do território, quer através dos projectos enquadrados no programa Linha de Defesa.

A Associação manterá uma participação assídua e activa nas Comissões para que foi convidada, no âmbito das relações com a Câmara Municipal de Loures, nomeadamente a Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul, o Conselho Consultivo da Várzea e Costeiras de Loures, ou outros que se venham a constituir, por iniciativa a autarquia ou de outras entidades, e que consideremos relevantes, no quadro dos objetivos da ADAL.

 

 

2015

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DE 2015

No ano de 2015 verificou-se um nível de cumprimento do plano de atividades muito positivo.

Relativamente aos Programas e Projectos previstos, destacamos:

* Consolidação associativa

– Foi reforçada a campanha de contactos com sócios, iniciada em 2014, para actualização de endereços e de documentos de identificação cuja validade se encontrava expirada, tarefa que se considera ter sido bem sucedida, mas que, naturalmente, exige uma dedicação anual.

– O sétimo aniversário da constituição formal da ADAL foi assinalado com o lançamento do n.º 1 do Boletim Linha de Defesa, cuja periodicidade se definiu como mensal.

– Foi realizada em 3 de Março a Assembleia Geral ordinária, na qual se aprovou o Relatório e Contas de 2014, bem como o Plano de Actividades de 2015, para além da eleição dos aspectos Positivos e Negativos de 2014 nos domínios do Ambiente e do Património.

 

* Comunicação/divulgação

– O aspecto mais relevante a realçar, neste domínio, foi o cumprimento do envio mensal, aos sócios e amigos da Associação, do Boletim Linha de Defesa, também acessível no Site e na página do facebook. Editaram-se 12 números do Boletim.

Conseguiu-se, assim, fazer chegar aos destinatários preferenciais notícias sobre as actividades realizadas ou a realizar e diligências tomadas ou perspectivadas, no quadro da normal intervenção da Associação.

* Relações institucionais

No contexto local, as relações com a Câmara Municipal de Loures assumem, como é natural, a maior importância. Foram vários os pretextos para a realização de contactos e concretização de contributos, de que destacamos:

– Participação no Conselho Consultivo do Loures em Congresso e em várias das iniciativas e debates que integraram o seu programa, em particular as tematicamente relacionadas com o Ambiente / Urbanismo e Cultura.

– Proposta de Pacto Político Municipal pela defesa da Água como recurso natural público e sob controlo democrático.

– Processo de privatização da Valorsul e Comissão Local de Acompanhamento da mesma, para além da participação no Conselho Municipal do Associativismo.

– Integração no Conselho Consultivo da Várzea e Costeiras de Loures.

– Defesa e salvaguarda do carvalho classificado de Fontelas (Freguesia de Lousa).

– Entrega de três certificados Positivo e Negativo de 2014 (Positivo Ambiente 2014, Positivo Património e Negativo Património 2014).

– Espaço sede para a ADAL.

Para além das relações com a Autarquia, há a destacar a parceria com a Rádio Horizonte FM, para a emissão diária da rubrica “ Em Loures, pensar e agir pelo nosso bom Ambiente!” e “Em Loures temos Património!”.

Também é de referir a colaboração do Jornal Notícias de Loures para a divulgação do projecto Positivo e Negativo de 2014.

Quanto às instituições governamentais, cumpriu-se o envio anual de informação ao Instituto nacional de Estatística e à Agência Portuguesa de Ambiente, neste caso com a finalidade de manutenção do estatuto de ONGA.

* Programa Linha de Defesa

Este Programa enquadra vários Projectos (Eco-Alerta, Retrato Ambiental de Loures, Acções de Informação e Sensibilização, Acções de advertência e acompanhamento, Positivo e Negativo do ano).

Eco-Alerta

Existe para acolher denúncias e alertas relativos a problemas que ponham em risco o património ambiental e cultural; o nosso papel é o de encaminhamento dos assuntos para as entidades competentes, dando a conhecer aos cidadãos as diligências tomadas e as respostas dessas mesmas entidades. A maioria dos alertas observados em 2015 relacionou-se com deposição ilegal de resíduos em áreas urbanas.

Retrato Ambiental de Loures

Registou 4 participantes, com um total de 18 trabalhos (menor adesão do que a observada em 2014).

ACÇÕES DE INFORMAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO

Pelos Trilhos do Património e da Natureza

Percurso pedestre circular Carcavelos – Fontelas, que incluiu visita ao carvalho classificado de Fontelas e Fábrica de queijos Teté (30 de Maio).

Um Olhar por Dentro

– Visita ao Palácio do Correio Mor (10 de Outubro). Esta visita acabou por se limitar aos membros dos Órgãos Sociais, pois a empresa gestora exigia, para um grupo mais vasto, um pagamento de valor significativo, que a ADAL decidiu não custear, ou fazer repercutir num pagamento por participação dos sócios e amigos que viessem a inscrever-se.

– Exposição “Narrativas de um Território” no Museu Municipal da Quinta do Conventinho, cuja visita acabou por não se realizar devido ao número diminuto de inscrições, tendo-se optado por concretizá-la no primeiro trimestres de 2016.

 

Positivo e Negativo do Ano

Foram eleitos os seguintes aspectos Positivos e Negativos, referentes ao ano 2014:

POSITIVO NEGATIVO
AMBIENTE ·       A Discussão Pública do PDM, aberta à participação de todos e em todas as freguesias ·       A privatização da Valorsul
PATRIMÓNIO ·       Reabertura dos Museus Municipais de Loures aos domingos ·       O risco de destruição completa do Palácio de Valflores em Santa Iria de Azóia

Algumas das actividades e intervenções registadas no capítulo referente às Relações Institucionais enquadram-se igualmente nos objectivos deste Programa Linha de Defesa.

Realça-se a realização de um debate, no quadro da campanha pela defesa da Água, como recurso natural público e sob controlo democrático, no dia 5 de Dezembro, em parceria com a Rádio Horizonte FM (e com posterior transmissão radiofónica) com o tema Água e Resíduos – Interesses Públicos vs Interesses Privados.

O debate, realizado no auditório do Museu de Cerâmica de Sacavém, contou com a participação do Presidente da CM Loures e de representantes da Associação Água Pública (José Veloso), PEV (Cláudia Madeira) e PCP (Pedro Ventura), tendo declinado convite os restantes partidos com representação parlamentar (PS, PSD, CDS e PAN) e a ERSAR (Entidade Reguladora dos serviços de Água e Resíduos).

Quanto a Comunicados, Posições/Informações Públicas foram emitidas oito:

Positivo e Negativo de 2014,

Dia Internacional das Florestas,

Dia Mundial da Água,

Dia Internacional dos Museus,

Proposta de Pacto em defesa da Água Pública,

Dia Mundial do Ambiente,

Processo de privatização da Valorsul,

Dia Europeu sem carros.

Com a participação de sócios, foram assinaladas as seguintes efemérides Comemorar para Consciencializar:

Dia Internacional da Floresta,

Dia Mundial da Água,

Dia Nacional dos Moinhos,

Dia Internacional dos Sítios e Monumentos,

Dia da Terra,

Dia Internacional da Sensibilização para o Ruído,

Dia Internacional dos Museus,

Dia Mundial do Ambiente,

Dia Mundial da População,

Dia Europeu sem Carros,

Dia Mundial do Urbanismo.

Perspetivas para 2016

Pretendemos manter os programas e projetos que têm vindo a ser desenvolvidos, adoptando estratégias de aproximação e eficácia na comunicação com os munícipes, para conferir mais relevância pública à ADAL e fazer chegar a informação a um maior número de cidadãos.

No que respeita ao Programa Comunicação/Divulgação e, em concreto, na relação com os sócios, manteremos a edição mensal do Boletim Linha de Defesa (on line), projecto iniciado e concretizado com a regularidade desejada em 2015.

O acompanhamento de processos do âmbito da gestão do território, sobretudo nas suas dimensões ambiental e cultural, continuará a merecer a maior atenção por parte da ADAL, através do Programa Linha de Defesa, nomeadamente o projecto “Acções de Informação e Sensibilização”, com a realização de actividades que habitualmente suscitam maior interesse por parte dos munícipes, quer pelo seu carácter informativo e pedagógico, quer pela vertente recreativa de que se revestem, em formato acessível a todas as idades e condições.

A Associação manterá uma participação assídua e activa nas Comissões para que foi convidada, no âmbito das relações com a Câmara Municipal de Loures, nomeadamente a Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul, o Conselho Consultivo da Várzea e Costeiras de Loures, ou outros que se venham a constituir, por iniciativa a autarquia ou de outras entidades, e que consideremos relevantes, no quadro dos objetivos da ADAL.