2013

O plano de atividades definido para 2013 foi genericamente cumprido, assinalando-se como negativos os três seguintes aspetos:

* No que respeita à consolidação associativa, os resultados da campanha de novos sócios, desenvolvida no mês do aniversário da formalização da ADAL, ficou aquém do pretendido, o mesmo tendo sucedido na campanha de angariação de donativos.

Reconhecendo-se que as dificuldades sentidas pelos cidadãos, nos atuais tempos de crise, conduzem a uma menor adesão ao associativismo, cremos que este esforço de captação de sócios deverá continuar, cabendo naturalmente à Associação, por via da sua atividade e da sua capacidade de comunicação, suscitar o interesse e a aproximação de novos associados.

* Relativamente à comunicação/divulgação, não obstante ter sido identificado, no relatório de 2012, como um dos aspetos que deveria merecer maior atenção na atividade de 2013, não se verificaram melhorias.

No início do mês de maio verificou-se uma anomalia no site da ADAL, que lamentavelmente não se conseguiu corrigir plenamente até ao final do ano. Sendo uma anomalia bastante condicionadora da comunicação junto dos sócios e outras entidades, o facto é que não se verificaram medidas que minimizassem o problema, designadamente por via da utilização mais frequente do correio eletrónico / reforço do envio de Newsletters.

* No Programa Linha de Defesa, o projeto Eco-Alerta foi utilizado de forma pouco expressiva, registando-se um reduzido número de denúncias ou alertas no decurso do ano.

Em todo o caso, do conjunto de alertas e contactos estabelecidos neste âmbito merecem destaque os referentes ao problema da infestação das palmeiras da Alameda do Bairro da Petrogal (Bobadela), classificadas como Árvores de Interesse Público – Monumentos Vivos (dezembro).

Tendo em conta que estas alertas tanto ocorrem no correio eletrónico como no facebook, torna-se necessário fazer uma gestão mais articulada da informação, garantindo sistematicamente o devido retorno junto de quem efetuou o alerta, no espaço onde ele foi comunicado, não nos limitando apenas ao mero reencaminhamento da questão colocada mas sim ao esforço continuado na obtenção do esclarecimento por parte da entidade responsável.

Assim, a Direção deverá equacionar a possibilidade deste projeto ser acompanhado em exclusividade por um elemento dos Corpos Sociais que se manifeste disponível para o efeito.

Relativamente à participação em processos de discussão pública emitimos parecer sobre o Plano de Pormenor do Antigo Quartel de Sacavém.

Em outubro a ADAL requereu formalmente à CM Loures a prorrogação do prazo de discussão pública do PDM, bem como a dinamização de iniciativas de informação pública sobre as opções tomadas no documento e as suas implicações na configuração do território e dominantes do desenvolvimento preconizadas.

De referir, ainda a participação na sessão de encerramento do EUROSCAPES (fevereiro).

No campo das realizações, realça-se a concretização de duas atividades, uma no âmbito do programa Pelos trilhos do Património e da Natureza(Centro de Interpretação da Rota Histórica das Linhas de Torres) e outra no âmbito do programa Loures – Um olhar por dentro (Exposição biográfica de Eduardo Gageiro).

Será ainda de realçar a concretização da primeira edição da Mostra de Fotografia “Retrato Ambiental de Loures”, dedicada ao Ambiente, prevendo-se, para 2014, a 2ª edição, dedicada ao Património Cultural.

Nas Ações de Advertência, onde se enquadram, para além de outras iniciativas, as informações e posições públicas ou promoção de reuniões, destaca-se a concretização, em Março, da seleção do Positivo e Negativo de 2011, tendo merecido destaque os seguintes aspetos:

 

POSITIVO NEGATIVO
AMBIENTE Classificação como Árvore de Interesse Público da oliveira da freguesia de Santa Iria de Azóia (bairro da Covina), considerada a mais velha de Portugal.

Entidade: Associação de Defesa do Património Ambiental e Cultural (ADPAC)

Ausência de projecto de requalificação da Frente Ribeirinha do Tejo no Concelho de Loures.

Entidade: Câmara Municipal de Loures

PATRIMÓNIO Classificação como Monumento de Interesse Público da Igreja de São Silvestre de Unhos e classificação como Sítio de Interesse Público da Estação Arqueológica de Frielas.

 

Entidade: Câmara Municipal de Loures

 

Situação de abandono do Palácio de Valflores.

Entidade: Câmara Municipal de Loures

Quanto a Posições Públicas foram emitidas quatro, no âmbito dos seguintes temas: Dia Internacional das Florestas (21 de março), Dia Mundial da Água (22 de março), Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (18 de abril) e Positivo e Negativo de 2012.

Considera-se importante mencionar o trabalho de análise e elaboração de um quadro comparativo dos programas eleitorais (eleições autárquicas 2013), nos seguintes capítulos: Espaços públicos e mobilidade, Resíduos sólidos e limpeza urbana, Recursos hídricos, Energia, Espaços verdes e equipamentos, Floresta, Planeamento e urbanismo, Água, Transportes públicos, Património cultural.

Nos contactos institucionais, foram privilegiados os contactos com a Câmara Municipal de Loures e a Valorsul, sobretudo a propósito da Comissão Local de Acompanhamento da Valorsul, a cujo funcionamento não foi dado início, apesar de constituído por Despacho de 2011 (n.º 10682, Secretário de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território, 26 de agosto de 2011), não esquecendo outros aspetos, como a Frente Ribeirinha do Tejo em Loures e o Palácio de Valflores.

Para o ano de 2014 aponta-se como necessário melhorar a comunicação com os sócios, amigos e outras entidades, tornando-se imprescindível atualizar e reorganizar as mailling lists.

Continuarão a merecer atenção de destaque os aspetos que têm justificado os contactos privilegiados com a Câmara Municipal de Loures e a Valorsul, descritos no parágrafo anterior.

A ADAL não deixará de participar ativamente no processo de discussão pública do PDM, no âmbito da respetiva revisão.

Igualmente se retomarão os esforços com vista à obtenção de apoio por parte da Câmara, consubstanciado em cedência de instalações para o funcionamento da Associação.

 

 

2012

A atual Direção da ADAL, eleita em Março de 2012, propôs-se prosseguir com os programas e projetos que a associação vinha desenvolvendo, prestando melhor atenção aos aspetos da divulgação, através de uma utilização mais adequada dos meios ao seu dispor, designadamente site e redes sociais, com a finalidade de assegurar um contacto mais regular e atualizado com os seus sócios e amigos, bem como com a comunicação social.

Igualmente se propôs reforçar o seu papel de vigilância e advertência sobre problemas ambientais e patrimoniais locais que de alguma forma contrariassem os objetivos de uma gestão sustentável do território, colocando em causa o bem estar das populações.

Se é possível fazer uma apreciação positiva relativamente ao primeiro propósito, já relativamente ao segundo nos parece termos ficado aquém do necessário e justificável, como poderemos constatar face ao número reduzido de Posições ou Informações Públicas, instrumentos preferenciais para a denúncia de situações e ocorrências negativas observadas no território concelhio (Loures).

No domínio do reforço dos contactos com os sócios e outros munícipes que nos acompanham, realçamos como positivo a regularidade das notícias associadas a efemérides, que se enquadram numa perspetiva de informação e sensibilização para as boas práticas: ao longo do ano a ADAL emitiu 20 notícias divulgadas através de newsletters, utilizando igualmente o site e as redes sociais (facebook) para chegar ao maior número possível de destinatários.

Realizou ainda duas atividades, uma no âmbito do Programa Pelos trilhos do Património e da Natureza (passeio pedestre em Santo Antão do Tojal) e outra no âmbito do Programa Um olhar por dentro (visita ao Núcleo Museológico Luís Serra – Bemposta), ambas com ênfase no património cultural.

No programa Linha de Defesa, os projetos Eco-alerta e Banco de Ideias Anticrise não obtiveram sinais significativos de adesão por parte daqueles a quem se destinam, sendo de questionar a sua manutenção e, em caso afirmativo, em que moldes e com que estratégias de divulgação, com vista a um maior conhecimento destas plataformas de partilha.

Nas Ações de Advertência, onde se enquadram, para além de outras iniciativas, as informações e posições públicas ou promoção de reuniões, destaca-se a concretização, em Março, da seleção do Positivo e Negativo de 2011, tendo merecido destaque os seguintes aspetos:

Positivo – Património: Rota Histórica das Linhas de Torres, com particular ênfase para a inauguração do Percurso Pedestre Alrota – Arpim (Entidade: CM Loures).

Positivo – Ambiente: Intervenção na Ribeira do Prior Velho (Entidade: Simtejo).

Negativo – Património: Enfraquecimento da dinâmica de programação cultural dos Museus.Municipais, de que o respetivo fecho aos domingos constitui um inquietante sinal (Entidade: CM Loures).

Negativo – Ambiente: Insuficiências e deficiências nos serviços de recolha de Resíduos Sólidos Urbanos (Entidade: SMAS de Loures).

Quanto a Posições Públicas emitidas, foram em número de três, tendo sito tratados os seguintes aspetos: Positivo e Negativo de 2011, Rede de Museus Municipais de Loures e Frente Ribeirinha do Tejo em Loures.

Nos contactos institucionais, a nova Direção da ADAL privilegiou a Câmara Municipal de Loures, designadamente os vereadores do Ambiente e da Cultura, não só com a finalidade de apresentar os novos Órgãos Sociais, mas também para analisar assuntos que já tinham justificado contactos anteriores e que se encontravam sem resposta ou sem desenvolvimentos.

Assinalamos como lamentável o facto de nenhuma das cartas enviadas pela ADAL ter merecido resposta, e não podemos deixar de interpretar esta atitude como uma manifestação de falta de sensibilidade e de capacidade da atual administração autárquica para prosseguir um diálogo aberto e responsável com a única associação de defesa do ambiente e do património, com estatuto de ONGA, existente no município.

2011

No ano de 2011 a ADAL deu continuidade aos Programas que vinha desenvolvendo nos últimos anos, tentando reforçar e alargar a sua actividade e das posições públicas tomadas sobre aspetos que justificam denúncia, advertência e propostas por parte da ADAL.

Podemos destacar os seguintes projetos:

Eco-alerta

Foram respondidos e encaminhados todos os alertas chegados ao conhecimento da ADAL.

O número de alertas chegados à ADAL ficou aquém do que esperávamos e, na sua grande maioria, relacionaram-se com deficiências nos serviços de recolha de resíduos sólidos urbanos e limpeza urbana.

Este projeto justifica um maior esforço de divulgação.

Pelos trilhos do Património e da Natureza (percursos pedestres temáticos, entre Março e Setembro)

Realizaram-se três atividades:

12 de março – “Documentos com História” – Visita guiada ao Arquivo Municipal de Loures

17 de abril – Percurso com observação de aves no Parque Tejo-Trancão

15 de maio – “A História contada pela cidade” – Percurso pedonal urbano na cidade de Sacavém.

Um olhar por dentro (sessões e debates temáticos, entre Outubro e Março)

Realizaram-se duas atividades:

15 de janeiro – “2011,  Ano Internacional das Florestas. Porquê e para quê?” (Casa da Cultura de Santa iria de Azóia), com a colaboração da SETA – Sociedade Portuguesa para o Desenvolvimento da Educação e do Turismo Ambientais

26 de fevereiro – “Eficiência energética – como poupar eletricidade em sua casa” (Bombeiros de Sacavém), com a colaboração da Eco-Casa – QUERCUS.

Plataforma Ambiental pela Reciclagem das Regiões de Lisboa Norte e Oeste

A ADAL promoveu uma reunião da Plataforma em 9 de abril, para a qual foi convidado o Movimento Estado de Arcena, na qual se decidiram formas de articulação e de ação a propósito da pedreira de Arcena destinada a posterior instalação da nova célula do aterro de Mato da Cruz.

Ainda no âmbito dos seus objetivos e funções, a Plataforma teve uma reunião com a Valorsul em 15 de novembro.

Enquanto única ONGA no município de Loures, a ADAL foi chamada a integrar a Comissão de Acompanhamento Local da Central de Tratamento de RSU da Valorsul (Despacho 10682/2011 de 26 de Agosto). Contudo, a autarquia (cujo vereador de Ambiente preside a Comissão) ainda não promoveu qualquer reunião neste âmbito.

Positivo e Negativo do ano (eleição do Positivo e do Negativo de 2010, nos domínios do Ambiente e do Património e registo dos aspetos ou ocorrências de 2011, a considerar na votação do próximo ano).

Foram atribuídos certificados positivos e negativos aos seguintes aspetos de 2010:

POSITIVO NEGATIVO
AMBIENTE
  • Acção “Limpar Portugal”
  • Perdas de água potável sem controlo na rede de abastecimento do Concelho de Loures;
PATRIMÓNIO
  • Início da recuperação das Linhas de Torres
  • Manutenção em estado de abandono do Palácio de Valflores;

Acções de Advertência

Para além das seis Posições ou Informações Públicas difundidas (ver quadro anexo), destaca-se ainda a realização, a pedido da ADAL, de uma reunião com o Vice-Presidente da CM loures no dia 1 de fevereiro, para análise das do dossiê Frente Ribeirinha do Tejo em Loures, e a elaboração de um memorandum sobre toda a ação já desenvolvida pela ADAL sobre o assunto. Também em setembro foi enviado à ministra do MAMAOT um dossiê sobre esta matéria, com pedido de audiência (sem resposta).

Igualmente se destaca a iniciativa de lançamento de uma Petição Pública em defesa da reabertura dos Museus Municipais de Loures aos domingos, petição que se manterá ativa previsivelmente até Maio de 2012.

É de realçar que a ADAL não recebeu qualquer apoio financeiro por parte do município para a atividade a desenvolver durante o ano de 2011, apesar de ter apresentado a candidatura no prazo estabelecido (fê-lo em 18 de novembro de 2010).

As atividades desenvolvidas no âmbito dos projetos Pelos trilhos do Património e da Natureza e Um olhar por dentro acabaram por possibilitar a recolha de donativos junto dos participantes, que manifestaram vontade de, dessa forma, contribuir para as despesas inerentes ao funcionamento da Associação.

Assinalam-se as áreas em que se considera ser necessário reforçar e melhorar a intervenção, designadamente no que respeita à vida associativa (novos sócios / participação dos sócios), e à comunicação (atualização mais frequente do Site e melhor aproveitamento de outros canais de comunicação, como o correio eletrónico e o facebook).

Por outro lado, sendo positiva a concretização dos projetos Pelos trilhos do Património e da Natureza e Um olhar por dentro, assinala-se como negativa a redução do número de Informações / Posições Públicas (associadas a problemas detetados no domínio ambiental e cultural). De certa forma estas duas circunstâncias relacionam-se, uma vez que a atenção dos dirigentes se direcionou para novas frentes de trabalho, o que naturalmente os levou a descurar outras. A capacidade de intervenção está condicionada à disponibilidade dos dirigentes e dos sócios que se predispõem a colaborar (como aconteceu nos dois projetos acima referidos). Ora, no que respeita aos dirigentes associativos, a disponibilidade, no seu todo, manifestou-se reduzida, uma vez que um menor número de elementos puderam manter ligação regular ao projeto associativo ao longo do ano.

2010

Acção Ponto de situação
 

Assembleia-Geral

Realizada em 6 de Abril de 2010 em Loures – Cineteatro.

Aprovado Relatório e Contas de 2009 e o Plano de Actividades para 2010.

Direcção Realizadas 11 reuniões de Direcção mais 1 reunião extraordinária em Maio sobre o PDM.
Site da ADAL Manutenção e actualização.
Sede para a ADAL Feito pedido às Juntas de Freguesia (Maio de 2010)
Relações institucionais Aprovado pela Câmara subsídio de 500,00€ (candidatura de 2009). Feita nova candidatura em Novembro de 2010.

Realizada reunião com o novo Presidente da Junta de Freguesia de São João da Talha (12.01.2010) a fim de apresentar a ADAL e sua actividade.

Realizada reunião com o novo vereador da Câmara, do Ambiente, em Janeiro de 2010 a fim de apresentar a ADAL e sua actividade.

Enviados ofícios a todos os eleitos da Câmara sobre a necessidade de actualização do Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo de Loures.

Participação em reunião promovida pela Câmara (19.10.2010) – alterações no regulamento de cedência de transportes.

Inscrição como ONGA Renovado o estatuto em Julho de 2010
Divulgação Divulgadas por e-mail as actividades agendadas. Sócios e comunicação social.

ADAL no Facebook.

Site da ADAL.

 

Projecto Frente Ribeirinha

Realizada reunião em Janeiro de 2010 com o novo vereador (Ricardo Lima).

Enviado ofício ao vereador em Novembro de 2010 reforçando a necessidade de se retomar o processo.

Projecto Positivo e Negativo de 2009 Aprovação pelos Sócios na Assembleia-Geral de Abril de 2010.

Divulgada Posição Pública.

Entrega dos Certificados em Junho de 2010.

Fusão Valorsul-Resioeste Em curso, acções conjuntas com Quercus e MPI-Cadaval (Plataforma).

Divulgadas quatro Posições Públicas da Plataforma.

Comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (18 de Abril) Concretizado com divulgação de Posição Pública.
Comemoração do Dia Internacional dos Museus (18 de Maio) Concretizado com divulgação de Posição Pública.
Comemoração do Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho) Concretizado com divulgação de Posição Pública e acção simbólica de entrega dos certificados Positivo e negativo 2009.
Comemorações do 4 de Outubro Concretizado com divulgação de Posição Pública e realização de uma sessão temática.
2011 – Ano Internacional das Florestas Divulgação de Posição Pública em 27 Dezembro de 2010
PDM de Loures Em curso preparação do parecer a dar no período de discussão pública.
Posições Públicas Divulgadas 10 Posições Públicas (7 no decurso do 1º Semestre e 3 no 2º Semestre) já referidas acima, nos temas a que estão associadas.
Participação no Projecto nacional Limpar Portugal Dinamização do processo no Concelho de Loures.
Percursos Pelos Trilhos do património e da natureza Realizados dois percursos (Linhas Defensivas de Torres e Património Natural – Ponte de Lousa e Lousa)
Sessões temáticas – Um Olhar por dentro Realizadas duas sessões (República e Consumo Responsável)