Exigência de intervenção na frente ribeirinha

O Município de Loures tem 5,5 Km de frente do estuário do Tejo. Mais de 44 mil habitantes moram nas proximidades –  União de Freguesia de Bobadela, São João da Talha e Santa iria de Azóia. São 22,5% do total da população do concelho!

Esta é a única área do território incluída na Rede Natura 2000, estando de certa forma protegida, por isso, ao abrigo das Directivas Aves e Habitats, da União Europeia.

Os contactos com as instâncias políticas que a ADAL tem desenvolvido como intuito de exigir uma intervenção neste território, para que possa ser usufruído pelas populações e para valorização do património ambiental que lhe está associado, inscrevem-se em três objectivos:

  1. Sensibilizar as autoridades para os problemas da desqualificação territorial, ambiental e económica da Frente Ribeirinha do Tejo em Loures e a necessidade de intervenções urgentes mitigadoras dos impactos das actuais actividades;
  2. Salientar a importância da elaboração de um Plano de Ordenamento para a Frente Ribeirinha do Tejo, como instrumento de gestão sustentável do território e alavanca de protecção ambiental e de desenvolvimento económico equilibrado;
  3. Reunir sob os mesmos propósitos, o governo, as autarquias, as empresas e os cidadãos em ordem à valorização da frente Tejo nas suas diferentes dimensões, das económicas às lúdicas, das ambientais às turísticas.