CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA VALORSUL/EGF!

A privatização da Valorsul pode e tem de ser revertida!

Como é do conhecimento público, o Governo anunciou recentemente a conclusão do processo de privatização do Grupo EGF, responsável pela gestão de grande parte dos resíduos sólidos urbanos produzidos no país.

A Valorsul, empresa pública do grupo EGF, sedeada em São João da Talha, procede ao tratamento e eliminação dos resíduos sólidos urbanos produzidos no concelho de Loures, servindo outros 18 municípios.

A ADAL - Associação de Defesa do Ambiente de Loures, os trabalhadores da VALORUSL, a Câmara Municipal de Loures, os sindicatos do sector e outras organizações, que se têm oposto à privatização da EGF/Valorsul, desenvolveram inúmeras diligências, a par dos restantes municípios servidos pela Valorsul, visando chamar o governo à razão e provando que o interesse público impunha a anulação do processo de privatização.

A Valorsul detém uma elevada competência tecnológica, com experiência de muitos anos a garantir, de forma ambientalmente segura, o destino final dos resíduos de 1,6 milhões de habitantes, gerindo um sistema integrado que promove a valorização e a reciclagem.

A Valorsul é uma empresa pública que desde a sua criação apresenta lucros, ano após ano.

Nem estes argumentos factuais, nem a luta comum dos autarcas, provenientes das diferentes forças políticas, nem o desrespeito pelos compromissos do Estado com os munícipes de Loures, foram suficientes para infletir a posição do Governo, acantonado numa visão de servilismo aos interesses dos grandes grupos económicos, desejoso de a estes entregar aquilo que as populações pagaram. 

Mas todos aqueles que se opõem à privatização da EGF/Valorsul, não podem e não vão baixar os braços.

À delapidação do património público somam-se as preocupações ambientais e laborais. A proposta do vencedor da privatização, SUMA/Mota Engil, prevê:

  • O não cumprimento das metas de reciclagem aprovadas pelo próprio Governo por via do PERSU 2020;
  • O desinvestimento na manutenção e no controlo ambiental das unidades de tratamento, particularmente inaceitável no caso da incineradora da Valorsul;
  • A construção de uma 4ª linha de queima na Valorsul e a fusão desta com a Amarsul;
  • A redução de postos de trabalho;

 Assim as organizações promotoras, nesta fase decisiva da luta contra a privatização da EGF/Valorsul, apelam à convergência e união de esforços da população de Loures e de outros municípios, das associações suas congéneres, dos sindicatos, dos autarcas, do movimento associativo, das forças políticas que se opõem a esta privatização, para a constituição duma Plataforma Cívica que eleve, intensifique e diversifique acções contra esta monstruosidade, contra este ataque aos direitos das populações e dos trabalhadores, participando e apoiando, desde já, uma proposta de Concentração e Protesto pela reversão da privatização, a ter lugar no próximo dia 8 de Julho, pelas 18h30, no Largo da Sociedade 1º Agosto, em S. Iria de Azóia.

CONTAMOS COM TODOS OS QUE NÃO DESISTEM!

Associações promotoras:

- ADAL - Associação de Defesa do Ambiente de Loures;

- Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Sacavém;

- Associação das Colectividades do Concelho de Loures;

- Sociedade 1º Agosto Santa Iriense;

- STAL - Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local;

- Comissão de Trabalhadores da Valorsul;

- SITE - SUL - Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadores, Energia e Actividades do Ambiente do Sul.

Comments are closed.