PATRIMÓNIO CONSTRUIDO DE LOURES NA RUINA

Assinalou-se ontem, 18 de Abril, o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

A este propósito, a ADAL, vem mais uma vez alertar para o estado de degradação geral do património cultural construído do Concelho de Loures, fruto do alheamento, desinteresse e desrespeito com que tem sido tratado pelas entidades responsáveis.

São disso exemplo:

Edifício 4 de Outubro em Loures, em acelerada degradação, no ano em que se comemora o Centenário da República;

Palácio de Valflores em Santa Iria de Azóia, embrulhado em ráfia, para deixar de se ver o estado lamentável em que encontra;

Castelo de Pirescoxe em Santa Iria de Azóia, onde faltam concluir as obras de consolidação de parte da sua muralha, ao mesmo tempo que se acentua a degradação das instalações inicialmente recuperadas;

Igreja de Santa Maria da Vitória em Sacavém, completamente desprezada;

Convento dos Mártires e da Conceição em Sacavém, em decadência e prestes a ser “sufocado” por mais uma urbanização;

Monumento Megalítico de Casaínhos em Fanhões, do qual a Câmara de Loures já nem apresenta foto no seu site na internet;

Quinta da Abelheira no Zambujal, São Julião do Tojal, deixada à sua sorte;

Paço Real de Frielas, estação arqueológica romana e medieval, sem evolução, nem acompanhamento especializado;

Quinta da Massaroca em São João da Talha, onde para além da decadência deve estar em preparação mais uma operação urbanística de larga escala;

Os Fortes e as Linhas de Torres em toda a zona norte do Concelho, com as intervenções a decorrerem a um ritmo que põe em causa o objectivo das mesmas e o usufruto por parte das populações.

E de um modo geral o património que segundo a Câmara de Loures está “classificado ou em vias de classificação”, e cujas referências podem ser encontradas em: http://www.cm-loures.pt/MiniPatrimonio/index.htm

Há já perdas irrecuperáveis em inúmeros destes e de outros monumentos do Concelho.

A ADAL teme que a voracidade urbanística que avassala o Concelho seja a principal aliada da inércia do IGESPAR e da Câmara de Loures, gerando-se as condições de abandono, decadência e derrocada de inúmeros espaços e edifícios do maior valor histórico, cultural e social.

A ADAL lamenta profundamente o estado de degradação do património construído no Concelho de Loures e apela à Câmara Municipal de Loures e ao IGESPAR, a urgente intervenção na preservação e salvaguarda deste património, expressão real da nossa identidade e memória colectiva.

2010

31-12-2010 00:00

 

 

POSITIVO

NEGATIVO

AMBIENTE

  • Acção “Limpar Portugal”
  • Perdas de água potável sem controlo na rede de abastecimento do Concelho de Loures;

PATRIMÓNIO

  • Início da recuperação das Linhas de Torres
  • Manutenção em estado de abandono do Palácio de Valflores;

 

2009

Acção Ponto de Situação
 

Assembleia-Geral

Realizada em 12.03.2009 em Santa Iria de Azóia.

Aprovado Relatório e Contas de 2008 e o Plano de Actividades para 2009.

Aprovado o Regulamento Interno.

 

Site da ADAL

Concluído em Junho de 2009.

(Em resolução: inserção de conteúdos em Agosto. Divulgar em Setembro)

Sede para a ADAL Feito pedido à Câmara (correio em 15.12.2008 e 21.07.2009).
Apoios da Câmara Aprovado e atribuído um subsídio de 500,00€ (candidatura de 2008).

Feita nova candidatura em Novembro de 2009.

Inscrição como ONGA Concluído.

Foi emitida Certidão.

Divulgação Criação de grupo alargado de contactos – destinatários da divulgação.

ADAL no Facebook.

 

Projecto Frente Ribeirinha

Realizada em Julho a primeira reunião ADAL/Empresas/Departamento de Ambiente da Câmara, tendo ficado agendada segunda reunião para início de Outubro de 2009.

Enviado novo pedido de reunião ao novo vereador em 01.12.2009, por mail, para retomar processo.

Enviado Dossier ao MAOTDR.

Divulgada Posição Pública.

Aterros junto ao Rio Trancão – Sacavém Feita denúncia/queixa à CCDR e à ARH Tejo.
Castelo de Pirescouxe Feito, 25.09.2009, pedido de informação à Câmara sobre a situação do edifício (derrocada de parte de uma muralha). Recebido esclarecimento em 17.11.2009)
Projecto Positivo e Negativo de 2008 Aprovação pelos Sócios na Assembleia-Geral de Março de 2009.

Divulgada Posição Pública.

Entrega dos Certificados em 18.05.2009 à Junta de Santo Antão (positivo – Património) e em 5.06.2009 à Câmara de Loures (Negativo – Património; Negativo e Positivo – Ambiente).

Fusão Valorsul-Resioeste Em curso, acções conjuntas com Quercus e MPI-Cadaval (Plataforma).

Divulgadas seis Posições Públicas da Plataforma e da ADAL.

Elaborado parecer conjunto sobre o estudo apresentado em Junho.

Pedido acesso a estudos (Valorsul).

Apresentada queixa à CADA, relativamente à Valorsul, por ter negado acesso aos estudos.

Feita reunião da Plataforma (ADAL e Quercus) com Presidente da Câmara (22.06.2009).

Apresentada queixa à Comissão Europeia em Outubro de 2009.

Comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (18 de Abril) Concretizado com divulgação de Posição Pública e acção centrada na salvaguarda do Palácio de Valflores.

Recebido apoio da Junta de Freguesia de Santa Iria de Azóia para esta acção (200,00€).

Comemoração do Dia Internacional dos Museus (18 de Maio) Concretizado com divulgação de Posição Pública.
Comemoração do Dia Mundial do Ambiente (5 de Junho) Concretizado com divulgação de Posição Pública e acção simbólica de entrega dos certificados Positivo e negativo 2008 à Câmara Municipal de Loures.
Comemorações do 4 de Outubro Concretizado com divulgação de Posição Pública.
Autárquicas – Programas para a área do Ambiente Efectuaram-se contactos para promoção de debate com candidatos de todos os partidos com representação na Assembleia Municipal.

Anulada a acção por só ter havido resposta da CDU (manifestou disponibilidade).

Divulgada Posição Pública.

PDM de Loures Em curso análise dos documentos para emissão de parecer no período de discussão pública.
Posições Públicas Divulgadas 13 Posições Públicas (6 no decurso do 1º Semestre e 5 no 2º Semestre) já referidas acima, nos temas a que estão associadas.