Regulamento para a gestão de hortas urbanas comunitárias em discussão pública

Realizou-se no dia 4 de Fevereiro a 10.ª reunião do Grupo de Ação Local (ULG) do projeto Ru:rban, que engloba especialistas, gardenisers/hortelãos, uma equipa municipal multidisciplinar, associações locais, escolas e a academia, entre outros, em que a ADAL participa em conjunto com outras associações locais do concelho de Loures.

O foco do Ru:rban é o desenvolvimento de comunidades saudáveis e inclusivas a partir da operacionalização de hortas urbanas comunitárias de produção de legumes biológicos, para autoconsumo – ferramenta de inclusão e sustentabilidade ambiental nas áreas urbanas, assente em práticas democráticas e participativas para o envolvimento dos cidadãos e diversos stakeholders da comunidade.

O ULG inclui especialistas com conhecimento na área da economia, ambiente, agricultura biológica, urbanismo, ciências sociais e comunicação, bem como hortelãos. Os passos e as atividades desenvolvidas foram organizados em três dimensões: 1. Capacitação em gestão e organização de hortas urbanas e produção em modo biológico; 2. Formação de gardenisers; 3. Regulamento e modelo de governança.

O Regulamento para a gestão de hortas urbanas comunitárias, está em discussão pública até dia 31 de Março e que pode ser consultado aqui:

https://www.cm-loures.pt/Conteudo.aspx?DisplayId=10692

ADAL integra Grupo de Acção Local URBACT

A ADAL participou na primeira reunião do Grupo de Acção Local URBACT, do projecto RU:RBAN, um programa europeu de aprendizagem e troca de experiências que tem como objectivo a promoção do desenvolvimento urbano sustentável.

O Grupo de Acção Local irá implementar o projecto no Município de Loures, através da criação e organização de parques hortícolas em três zonas do concelho, a saber: Urbanização da Quinta do Conventinho, em Santo António dos Cavaleiros; nos Terraços da Ponte, em Sacavém, e no Bairro da Petrogal, na Bobadela.

Sobre o RU:RBAN

O RU:RBAN é um projecto europeu de cooperação territorial, de aprendizagem colectiva e troca de experiências em torno da promoção do desenvolvimento urbano sustentável e integrado, cofinanciado até 70% pela União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), com duração de dois anos.