Exposição de bolso “Paul das Caniceiras – Narrativa ilustrada de uma causa cheia de vida”

Na data em que se assinala o Dia Internacional da Biodiversidade, a ADAL lança a Exposição de Bolso #2. 

Uma singela forma de comemorar a natureza, celebrar a diversidade da fauna e flora e apelar para a preservação do ecossistema existente no Paul das Caniceiras, zona húmida ímpar localizada no concelho de Loures.

A ADAL defende a classificação do Paul das Caniceiras enquanto Área Protegida de Âmbito Regional/Local.

Conheça e valorize também este importante património natural do concelho.

Paul das Caniceiras
Paul das Caniceiras

ADAL comemora o Dia da TERRA

DIA DA TERRA é anualmente assinalado a 22 de Abril e tem como objectivo consciencializar sobre a protecção e a utilização sustentável dos recursos naturais do planeta e defender a harmonia entre todos os seres vivos, garantindo assim – às gerações presentes e futuras – qualidade de vida ambiental, social, económica, cultural.

A ADAL contribui também para homenagear o planeta Terra, difundindo informação que proporcione um  conhecimento mais vasto possível sobre a defesa do Ambiente, do Património e da Qualidade de Vida no Município de Loures, de modo que estas possam adoptar, de forma consciente e esclarecida, pelas melhores práticas, e exercer os respectivos direitos e deveres civis e constitucionais.

Hoje, no DIA DA TERRA relembramos dois temas ambientais causa da ADAL:

  • Paul das Caniceiras

É uma das mais interessantes zonas húmidas da região de Lisboa, com um ecossistema rico, mas sensível e extremamente ameaçado, localizado na Várzea de Loures, na freguesia de Santo Antão do Tojal.

Com cerca de 14 hectares, é um importante refúgio para diversas espécies de aves aquáticas e peixes de água doce, algumas em perigo de extinção, com destaque para a presença da “Boga de boca arqueada de Lisboa”.

Desde 2018 que a ADAL promove um conjunto de diligências junto dos órgãos municipais visando a classificação do Paul das Caniceiras como Área Protegida de Âmbito Regional/Local.

  • Frente Ribeirinha do Tejo

O Município de Loures tem 5,5 Km de frente de rio, no estuário do Tejo. Cerca de metade da população do concelho de Loures vive na proximidade da frente ribeirinha que tem todas as condições para se transformar numa nova zona de recreio e lazer do nosso concelho.

Esta é a única área do território incluída na Rede Natura 2000, estando, de certa forma, protegida, ao abrigo das Directivas Aves e Habitats, da União Europeia.

A ADAL vem tornando públicas as suas preocupações com a situação desta zona – um espaço de elevada nobreza e valor ambiental – e exigindo a elaboração de um Plano de Ordenamento para a Frente Ribeirinha do Tejo, como instrumento de gestão sustentável do território e alavanca de protecção ambiental e de desenvolvimento económico equilibrado.

A ADAL tem assumido, ao longo dos anos, a Frente Ribeirinha do Tejo como uma causa sua, para que seja causa de todos, com a assinatura: LOURES TAMBÉM TEM TEJO!

E neste DIA da TERRA, o nosso ECO-ALERTA adquire um sentido ainda mais oportuno. Colabore também e apresente a sua denúncia, queixa ou proposta para proteger o património ambiental e cultural de Loures! Envie-nos as suas mensagens para adaloures@gmail.com.

Comemorar para consciencializar!

Para que os dias passem de palavras nos calendários e ganhem um sentido E/Afetivo.


Causas da ADAL em debate com a Câmara Municipal de Loures

Na consolidação da missão e inerente plano de actividades que a ADAL definiu e que caracterizam a sua actuação, o relacionamento institucional com a Câmara Municipal de Loures assume uma importância decisiva para a dinâmica de algumas acções promovidas em prol do ambiente e cultura local.

No dia 19 de Novembro, a ADAL reuniu com os Presidente e Vice-Presidente da autarquia para debate de temas relacionados com as causas que a Associação tem vindo a defender, com destaque para o Paul das Caniceiras.

Aproveitou ainda a oportunidade para partilhar as preocupações motivadas pela recente concessão feita pela IP-Infraestruturas de Portugal do parque sul do Complexo Ferroviário da Bobadela, em contraciclo com o curso de conversão e requalificação da Frente Ribeirinha do Tejo em Loures. 

Paul das Caniceiras, uma Causa que não descuramos

A ADAL volta a interpelar a Câmara Municipal de Loures sobre as diligências efectuadas relativamente ao processo de classificação do Paul das Caniceiras.

Cientes da premência do assunto e da urgência das acções necessárias que almejem a preservação deste ecossistema de zona húmida, a falta de medidas concretas ameaça irreversivelmente a sua requalificação e existência.

Recordamos que a ADAL promoveu em 2018 reuniões com as forças políticas com assento na Câmara Municipal e Assembleia Municipal de Loures pretendendo sensibilizar e envolver todos na discussão e solução futura. Contudo é a Câmara Municipal que tem competência para propor a deliberação pela Assembleia Municipal da respectiva classificação.

A ADAL reitera a proposta de:

. Classificação do Paul das Caniceiras como Área Protegida de Âmbito Regional/Local;

. Cuidada intervenção na área do Paul, apoiada tecnicamente, de modo a permitir visitas e observação das espécies;

. Instalação de um Centro de observação e Interpretação do ecossistema de zona húmida com objectivos pedagógicos, científicos e turísticos.