Dia Internacional das Zonas Húmidas | ADAL quer proactividade da Câmara de Loures e respeito pelas zonas mais sensíveis

No passado dia 2 de Fevereiro, assinalou-se o Dia Internacional das Zonas Húmidas.

A Câmara Municipal de Loures, não só não fez qualquer referência ao assunto como - e o que é pior - parece partilhar os propósitos daqueles que pretendem ver urbanizado cada palmo de terra, seja qual for o seu interesse e relevância para a defesa da biodiversidade e, ao fim e ao cabo, da vida.

Recordamos que a Câmara e Assembleia Municipal de Loures aprovaram resoluções, já em 2002, no sentido de integrar o Paul das Caniceiras – área do maior interesse ecológico na área metropolitana de Lisboa - na Reserva Ecológica Nacional. Até à data, nem um único passo foi dado no sentido de concretizar as deliberações municipais.

São motivo de grande preocupação as zonas do Parque das Nações em Sacavém, onde o previsto Parque Tejo/Trancão não se concretiza, enquanto “floresce” um substancial nível de construção e a zona dos Salgados em Santa Iria de Azóia, para onde está já aprovada uma enorme urbanização que trará pressões acrescidas sobre a plataforma ribeirinha do Tejo, designadamente na área de sapal, cuja defesa foi adoptada aquando da construção à Variante da Estrada Nacional 10 e da Incineradora da Valorsul.

É preciso mudar de atitude, na Câmara Municipal de Loures, na CCDR-LVT e no Ministério do Ambiente. Loures não pode voltar a ser a porta de trás da Capital.

Comments are closed.