Obras no Sifão do Canal do Alviela

Em 2019 a ADAL alertou para o estado de degradação do Sifão do Canal do Alviela, localizada no rio Trancão, em Sacavém, uma infra-estrutura centenária (datada de 1880), que foi responsável pelo abastecimento de água da região de Lisboa.

Os alertas foram feitos junto dos deputados da Assembleia da República e da Direcção Geral do Património Cultural, mas também da empresa responsável, a EPAL, juntando registos das fissurações superficiais já observáveis.

É com agrado que verificamos que as obras de conservação iniciaram, cumprindo-se assim a responsabilidade de salvaguarda e valorização deste património, símbolo da cidade de Sacavém.

ADAL reúne com Câmara Municipal de Loures

A pedido da ADAL, a Associação foi recebida em audiência pelo Senhor Vice-Presidente Paulo Piteira, pelo Vereador (em exercício) Paulo Rui Amado, e pelos Diretores de Departamento de Ambiente, Madalena Neves, e da Cultura, Desporto e Juventude, Alfredo Santos.

A reunião teve como objetivo a actualização de informação sobre diversos assuntos que a ADAL tem vindo a acompanhar e que se enquadram no âmbito da relação institucional estabelecida com a autarquia.

Em análise e debate foram abordadas as causas da ADAL – Convento de Nossa Senhora dos Mártires e da Conceição dos Milagres, Paul das Caniceiras, Frente Ribeirinha do Tejo -, as parcerias institucionais entre as partes, bem como outros assuntos que refletem a dinâmica constantes do plano de actividades da associação, de que são exemplo: o Canal do Alviela / Oleoduto, o contrato de concessão dos transportes rodoviários para a Área Metropolitana de Lisboa, o Plano de Ação Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas, entre outras referências de acções promovidas em prol do ambiente e cultura local.

ENCONTRO DE COLECTIVIDADES DO CONCELHO DE LOURES

Dirigido por Fernando Vaz, presidente da Associação de Coletividades do Concelho de Loures (ACCL), teve ligar no passado dia 19 de Junho mais um encontro do movimento associativo do concelho de Loures.

Na primeira parte, Elisabete Barbosa, dirigente associativa, e Augusto Flor, presidente da Confederação Portuguesa das Coletividades falaram sobre o presente e o futuro do associativismo, das suas dificuldades e incertezas decorrentes da crise do Covid-19, e lançaram algumas ideias para o futuro.

A segunda parte do encontro foi preenchida com a apresentação do estudo sobre o “Movimento Associativo Popular no Concelho de Loures” que pode descarregar a parir daqui: https://bit.ly/3w06rpR

Com o estudo pretende-se conhecer melhor a realidade concelhia, os principais traços e características do associativismo popular; a sua evolução nas últimas décadas; as suas forças; os principais constrangimentos à atividade associativa e abrir perspetivas para o futuro.

O estudo “Movimento Associativo Popular no Concelho de Loures” foi desenvolvido pelo Município de Loures, o ISCTE-Instituto Universitário de Lisboa, e a Associação das Colectividades do Concelho de Loures.

A ADAL esteve representada neste Encontro das Colectividades do concelho por Ana Mata e Eduardo Brissos.

A ADAL e a comemoração do Dia Mundial do Ambiente

No passado dia 5 de Junho, exatamente para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, no âmbito do Projecto «Pelos Trilhos do Património e da Natureza», 53 pessoas participaram no «Percurso pela Várzea de Loures» – orientado no terreno pelo nosso amigo Manuel Silva, com a intervenção qualificada das técnicas municipais, Tânia Mateus e Ana Raquel Silva, respectivamente no âmbito das políticas municipais de Planeamento e Museologia e Património.

Num percurso circular, de aproximadamente 10 quilómetros, foi possível observar toda a riqueza que existe na Várzea de Loures.

No que diz respeito ao património histórico, logo no início do percurso, foi-nos dada a oportunidade de visitar a muito interessante e nem sempre aberta ao público Igreja de São Julião e Santa Basilisa de Frielas.

Simultaneamente aqui aconteceu uma breve intervenção de Isabel Rodrigues, presidente da direção da ADAL, para apresentar sumariamente a Associação e sua dinâmica e informar aspectos práticos relativos ao percurso.

A circularidade da caminhada levou-nos ainda à histórica Praça Monumental de Santo Antão do Tojal e no final ao Sítio Arqueológico de Frielas.

Na parte inicial do percurso, diante de uma paisagem de cultivo esmagadora, os participantes ficaram a saber que anualmente, no que estavam a ver, são produzidas 40 mil toneladas de tomate de elevada qualidade e também milho. Já no retorno, na “baixa” de Unhos, com o Trancão ali tão perto, o grupo contactou, no sapal, com uma extensa área de cultivo.

Para terminar, a Água, que nas palavras de Herberto Helder «…é uma delicadíssima e exaltante matéria.»

Mas para todos nós também o é. Por isso, o Paul das Caniceiras em Santo Antão do Tojal, é uma das causas maiores da ADAL, que permanentemente vem sublinhado a premência da classificação patrimonial desta “jóia” do Concelho de Loures, que potenciará o seu valor ambiental.

Pela sua extensão de aproximadamente 14 hectares de área alagada, de habitat da espécie rara de peixe “Boga-de-boca-arqueada de Lisboa”, de local de refúgio e nidificação de espécies de aves, pela rara beleza paisagística, o Paul das Caniceiras foi um dos locais onde os participantes da caminhada mais tempo se detiveram a observar e a fotografar.

O dia 5 de Junho de 2021, Dia Mundial do Ambiente, foi simultaneamente, um grande momento de celebração e descoberta.